conecte-se conosco

Saúde

Covid-19: São Paulo divulga calendário de vacinação para crianças

Publicado


Após a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) ter aprovado hoje (20) o uso da vacina CoronaVac para crianças e adolescentes entre 6 e 17 anos, o governador de São Paulo, João Doria, convocou uma coletiva para apresentar o calendário de vacinação de crianças no estado paulista.

Pelo calendário, as crianças que vivem no estado de São Paulo e tem entre 9 a 11 anos de idade, sem comorbidades, serão vacinadas entre hoje (20) e o dia 30 de janeiro com a primeira dose. Crianças de 5 a 8 anos, sem comorbidades, serão vacinadas entre os dias 31 de janeiro e 10 de fevereiro. 

As crianças com 5 anos só poderão tomar o imunizante da Pfizer/BioNTech, que foi aprovado pela Anvisa em dezembro do ano passado. As crianças com comorbidades, deficiências, indígenas ou quilombolas e que tem entre 5 e 11 anos já estão sendo vacinadas e poderão fazê-lo até o dia 10 de fevereiro.

O cronograma completo de vacinação pode ser consultado no site www.vacinaja.sp.gov.br. O estado de São Paulo tem cerca de 4,3 milhões de crianças com idade acima de 5 anos.

Segundo Doria, a vacinação de crianças vai ocorrer nos mais de 5 mil postos de saúde do estado, além de em 300 escolas.

Vacinado

Pouco antes da coletiva ter início, o estudante Caetano Moreira, de 9 anos, foi a primeira criança do estado a ser vacinada com a CoronaVac, imunizante contra a covid-19 produzido pelo Instituto Butantan e pelo laboratório chinês Sinovac.

Leia mais:  Cientistas desenvolvem técnica para diagnóstico precoce de Alzheimer

Além de Caetano, mais 99 crianças foram imunizadas nesta quinta-feira na Escola Estadual Brigadeiro Faria Lima, na zona oeste da capital paulista.

São Paulo iniciou a vacinação de crianças na semana passada, utilizando o imunizante da Pfizer/BioNTech. A primeira criança a ser vacinada no país foi o menino Davi, um indígena xavante de 8 anos que mora em Piracicaba, no interior do estado de São Paulo. 

Doses em estoque

Até esta quinta-feira, apenas a vacina Pfizer/BioNTech estava aprovada para ser utilizada na faixa etária de 5 a 11 anos. Com a aprovação da CoronaVac para uso em crianças acima dos 6 anos, com exceção das imunossuprimidas, São Paulo vai poder adiantar o seu calendário, já que tem 15 milhões de doses desse imunizante armazenadas e disponíveis para uso. 

Com essa quantidade de doses, São Paulo conseguirá imunizar todas as crianças acima dos 5 anos que vivem no estado e ainda repassar o restante das doses [o que daria cerca de 7 milhões de doses] para o Ministério da Saúde, caso ele deseje utilizá-las na campanha de vacinação no restante do país. 

Leia mais:  Dia da Imunizacão: SP aplica mais de 32 milhões de doses contra covid

Caso o ministério não queira adquirir essas doses, elas poderão ser repassadas para os governos estaduais que desejarem adquiri-las. De acordo com Doria, as crianças de São Paulo serão vacinadas no prazo de três semanas.

A vacina CoronaVac que será aplicada nas crianças é a mesma que foi utilizada em adultos. São duas doses, com intervalo de 28 dias entre elas. Já a da Pfizer/BioNTech tem uma dosagem menor para essa faixa etária, foi aprovada para crianças acima dos 5 anos e é aplicada no prazo de oito semanas. 

Aumento de internações

Ontem (19), em entrevista coletiva, Doria informou que a vacinação para crianças é fundamental já que o estado observou um aumento de 61% nas internações em estado grave de menores de 18 anos nos últimos dois meses. 

Segundo o governo paulista, no dia 15 de novembro de 2021 existiam 106 pacientes menores de 18 anos internados em estado grave no estado de São Paulo por causa da covid-19. Já na última segunda-feira (17), esse número subiu para 171 internações em unidades de terapia intensiva (UTI). 

Edição: Fábio Massalli

Fonte: EBC Saúde

publicidade

Saúde

Losartana: saiba marcas de remédios que não tiveram que ser recolhidos

Publicado

Medida foi tomada devido a
Christine Sandu / Unsplash

Medida foi tomada devido a “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”

Na última quinta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a interdição e recolhimento de lotes de alguns medicamentos com princípio ativo da losartana . Este tipo de medicação é um dos mais indicados e usados no Brasil para o tratamento de pressão alta (hipertensão arterial) e insuficiência cardíaca, reduzindo o risco de derrame e infarto.

Segundo a agência, a medida foi tomada devido à “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”. A Anvisa ainda ressalta que o recolhimento não impacta o tratamento, visto que há outros lotes de losartanas no mercado que podem substituir os medicamentos recolhidos ou interditados.

Confira abaixo quais são as marcas de medicamentos à base de losartana disponíveis no Brasil que não foram alvo de recolhimento ou interdição pela Anvisa:

  • EMS;
  • Germed;
  • Torrent;
  • Organon;
  • Pharlab;
  • Multilab;
  • Nova Química;
  • Sandoz;
  • Vitamedic;
  • Sanofi Medley
  • Legrand;
  • Ranbaxy;
  • Unichem;
  • 1FARMA;
  • Aurobindo Pharma;
  • Laboratório Globo;
  • Zydus Nikkho.
Leia mais:  Cientistas desenvolvem técnica para diagnóstico precoce de Alzheimer

Vale ressaltar que mesmo entre as marcas alvo de recolhimento ou interdição — Ache, Biolab, Brainfarma, Cimed, Eurofarma, Geolab, Teuto, Prati — apenas alguns lotes foram afetados. O número dos lotes recolhidos estão especificados no site da Anvisa. Assim como o número dos lotes que foram interditados cautelarmente.

A Anvisa e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) alertam que os pacientes que fazem uso da losartana devem continuar utilizando o seu medicamento, mesmo que ele esteja entre os lotes afetados . A troca deve ser realizada apenas sob orientação médica e apenas quando o novo medicamento estiver em mãos.

A interrupção do tratamento da hipertensão arterial e da insuficiência cardíaca pode produzir malefícios instantâneos, inclusive risco de morte por derrame, ataques cardíacos e piora da insuficiência cardíaca.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia mais:  Covid: China faz testes em massa em Pequim e eleva temor de lockdown

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Mais Lidas da Semana