conecte-se conosco

Mato Grosso

Em vídeo, detetive mostra contrato assinado por Ziad para “arquitetar plano” contra jornalista

Publicado

Gravações obtidas por esta reportagem – e que já estão sob análise da Polícia Federal – mostram o detetive Ivancury Barbosa apresentando a um interlocutor um contrato que teria sido assinado pelo publicitário Ziad Fares, como parte dos serviços a serem executados contra o jornalista Alexandre Aprá.

Em notícia-crime protocolada por Aprá na PF, ele aponta que, além de Ziad, o governador Mauro Mendes e a primeira-dama do Estado, Virgínia Mendes teriam contratado os trabalhos do detetive para que fosse arquitetado um plano para difamá-lo e caluniá-lo.

A notícia-crime contem vídeos e áudios que somam três horas de gravação e que trazem detalhes da tentativa de forjar um flagrante de tráfico ou pedofilia contra Aprá.

Em um dos trechos ao qual a reportagem teve acesso o detetive descreve o seguinte: “A Virgínia, na verdade, você não fala dela. […] Esse aqui é o contrato. Ziad que assina”, revela o detetive, ao manusear o documento.

A gravação teria sido feita no dia 19 de agosto deste ano e foi obtida com a ajuda de um amigo de Aprá – que fingiu ser desafeto do jornalista – para se aproximar do detetive.

Leia mais:  Gefron apreende R$ 1,5 milhão em cocaína na fronteira com a Bolívia

Ziad, como se sabe, é proprietário da ZF Comunicação que presta serviços ao governo Mauro Mendes. As relações empresariais já existiam à época em que o político era prefeito da Capital.

Atualmente, Alexandre Aprá está acolhido pelo Programa de Proteção Legal para Jornalistas.

publicidade

Mato Grosso

Governo estuda meios para implementar alterações do ICMS em Mato Grosso

Publicado

O Governo de Mato Grosso está analisando a melhor forma para implementar as alterações nas regras de tributação do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), definidas em âmbito federal. As medidas, aplicadas aos combustíveis, energia elétrica e comunicações, estão sendo discutidas por todos os Estados, no âmbito do Comitê Nacional de Secretários de Fazenda (Comsefaz).

“Estamos analisando, em conjunto com o Comsefaz, como Mato Grosso fará para implementar as medidas normativas, de maneira uniforme, com todos os Estados, para garantir segurança jurídica”, afirma o secretário de Fazenda, Fábio Pimenta. O assunto também está sendo analisado pelo Colégio Nacional de Procuradorias-Gerais dos Estados e do Distrito Federal (Conpeg) e pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

O impacto será de aproximadamente de R$ 100 bilhões para todos os Estados. Na arrecadação estadual de Mato Grosso, o impacto será de cerca de R$ 1 bilhão até o final deste ano e reduzirá, consequentemente, os repasses para saúde, educação e municípios.

“O Governo não é contra o corte de impostos, desde que feito com os devidos estudos prévios de impactos econômicos e orçamentários. Tanto que já reduziu, desde janeiro de 2022, o ICMS da energia elétrica, comunicação, gás, gasolina e diesel. Além de ter no etanol e no gás natural veicular (GNV) as menores cargas tributárias do país, que permitiram Mato Grosso ter os menores preços praticados nas bombas para estes combustíveis”, pontua o secretário de Fazenda.

Leia mais:  Gefron apreende R$ 1,5 milhão em cocaína na fronteira com a Bolívia

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana