conecte-se conosco

Política MT

Emanuelzinho busca recursos para socorrer UFMT e sugere à Reitoria divulgação de ações

Publicado

Contrário ao contingenciamento na Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), o deputado federal Emanuel Pinheiro Neto, o ‘Emanuelzinho’ (PTB), afirmou que está trabalhando em Brasília (DF) para trazer mais recursos à instituição e sugeriu à reitora Myrian Serra que divulgue mais as ações acadêmicas para que a sociedade mato-grossense se sinta parte de todo o processo.

Para o deputado, o problema financeiro que a UFMT vem passando é reflexo da crise que está acontecendo em todo o país e em Mato Grosso. “Sabemos que o Brasil tem uma previsão de déficit primário de R$ 140 bilhões. Mato Grosso também tem uma previsão de R$ 4 bilhões e a UFMT não passa por uma situação diferente. Sempre me posicionei contra o contingenciamento, entendo que ele não pode ser feito sem planejamento, sem um aviso prévio para a UFMT se organizar”, disse.

O parlamentar também declarou que está em contato constante com os outros deputados mato-grossenses para encontrar alguma forma de conseguir recursos de emendas e destiná-los para unidade de educação.

Leia mais:  ALMT analisa projeto que institui canal unificado de acesso a remédios de alto custo

“Já estive com a reitora Myrian várias vezes, assim como com a deputada Rosa Neide (PT) para poder fazer uma visita, ver se a bancada federal pode fazer alguma coisa. As emendas de bancada impositiva que podemos, quem saber até ajudar a UFMT, porque quem perde com isso são os alunos”, afirmou.

O jovem deputado, por fim, pontuou que tem muitos amigos estudantes da UFMT e frisou que os estudantes, que em grande parte vivem com até dois salários mínimos precisam de uma universidade forte, motivo pelo qual sugeriu que a reitoria divulgue as suas ações, para a população entender os benefícios da instituição pública.

“Conheço muito aluno de lá e apesar do que as pessoas pensam, dois terços dos alunos de lá vivem com uma renda mensal de até dois salários mínimos. Então muitas vezes são pessoas que vivem ali na expectativa da universidade como forma de ascensão social, além dos investimentos em pesquisas e tudo mais. Eu até sugeri que a UFMT divulgue mais e abra mais isso para sociedade se sinta parte do processo e não entendendo a UFMT como núcleo fechado em si mesmo, mas como algo que serve a sociedade, finalizou.

Leia mais:  PL propõe ações de saúde ocupacional aos profissionais de educação

 

Fonte: Olhar Jurídico

 

 

publicidade

Política MT

Sexto episódio do “Palco pra 2” traz novos nomes da cena musical de MT

Publicado

Foto: DIVULGAÇÃO / ASSESSORIA

O projeto “Palco pra 2” chega ao sexto episódio divulgando artistas autorais de Mato Grosso. Originalidade e encontros musicais marcam as participações de representantes da música popular brasileira produzida em Mato Grosso. Na edição que vai ao ar neste sábado (2), os convidados são Bia Trindade e Heitor Mattos. O programa é exibido às 12h30 e 18h30, com reprises nos seguintes dias: domingo (11h30 / 21h), terça (12h30 / 22h), sexta (12h30 / 22h).

Beatriz Vitória Trindade Alves ou simplesmente Bia Trindade tem 20 anos de idade, mas já acumula experiência e vivências musicais que a colocam em destaque na cena musical de MT. Bia participou, em 2021, do ‘The Voice Brasil’ (TV Globo) e, em fevereiro deste ano, a artista lançou seu primeiro extended play (EP) intitulado “Sempre quero mais”.

Com músicas que vão desde o pop à bossa nova, a cantora afirma que leva para os palcos muitas verdades por meio das suas composições e a própria busca por sua identidade artística. “Viver da arte e ser identificada por meio dela é meu maior desejo”, afirma.

Leia mais:  Disque-denúncia animal criado por Ulysses Moraes ajuda a combater o maus-tratos em Mato Grosso

Para marcar esse momento, ela conta, durante a gravação, que trouxe para o palco do programa uma composição nova. “Quis aproveitar essa oportunidade para divulgar uma música nova que estou acrescentando ao repertório e que pretendo lançar em breve”, adiantou animada.

O músico cuiabano Heitor Mattos, de 21 anos, é outro nome que desponta como referência por sua sonoridade e composições. “Gosto de experimentar muitas coisas diferentes, timbres e ritmos. A banda que me acompanha me ajuda a criar com autenticidade e ir colocando uma identidade às composições”, revela.

Suas produções autorais já ocuparam diversos palcos da capital e consolidou seu trabalho musical. “Estar no palco é dos momentos mais importantes e precisa ter muita sintonia com a banda para entregar ao público a arte que fazemos”, avalia.

Sobre a participação no projeto, Heitor considera importante a oportunidade e as parcerias que ele proporciona. “É um privilégio poder subir nesse palco e dividir o meu som, que é único, com a arte de outra artista autoral e que admiro muito”, afirma.

Leia mais:  PL propõe ações de saúde ocupacional aos profissionais de educação

Fonte: ALMT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana