Mato Grosso

Governador participa de retomada da JBS em Diamantino: “É um exemplo que mostra a capacidade de MT em industrializar”

Publicado

O governador Mauro Mendes afirmou que a retomada dos trabalhos da unidade da JBS/Friboi, em Diamantino, é um exemplo “que mostra a capacidade de Mato Grosso em industrializar” os alimentos produzidos no estado.

Mauro participou da reativação da planta frigorífica, que foi parcialmente atingida por um incêndio em junho deste ano.

“Mato Grosso é um lugar com potencial não só pra produzir, mas também pra industrializar. Essa é a grande demanda e a grande oportunidade que nós temos. O estado tem hoje o maior rebanho bovino do país. E esta unidade aqui é um exemplo disso. O agronegócio cresceu e foi saindo da pecuária extensiva para a pecuária em confinamento, com melhoria da produtividade. É um jogo do ganha-ganha. A industrialização é uma etapa a partir do ganho de eficiência que as cadeias anteriores estão tendo”, relatou.

O presidente da Friboi, Renato Costa, destacou que a retomada das atividades ainda é a primeira etapa da reinauguração, com mais de 3 mil empregos sendo mantidos pela companhia.

Leia mais:  Curso capacita médicos para determinação de morte encefálica

“Essa é a maior planta nossa no Brasil e quando terminarmos as obras vai ser a maior planta da América Latina. Então ela merece tudo que tem de melhor em tecnologia, equipamento e estrutura. Dentro da primeira quinzena de janeiro a gente conclui tudo”, informou.

Também participaram da visita: o ministro da Agricultura e Pecuária, Carlos Fávaro; os deputados estaduais Dilmar Dal Bosco, Paulo Araújo e Valdir Barranco; os prefeitos Aldacir Oliveira (Denise), Adair José (Alto Paraguai), Edu Pascoski (Itanhangá) e Jefferson Souto (Nova Marilândia); os secretários de Estado Rogério Gallo (Fazenda) e César Miranda (Desenvolvimento Econômico); o presidente da MT Par, Wener Santos; o presidente do Conselho Administrativo da Nova Rota, Cidinho Santos; e o presidente da Fiemt, Silvio Rangel, além de outras lideranças locais.

A unidade

Com capacidade instalada de processamento de 3.600 cabeças por dia, a fábrica será a maior de carne bovina da América Latina, com 3.000 colaboradores divididos em dois turnos.

A planta opera com capacidade inicial de processamento de 600 cabeças de gado por dia, chegando a 1.800 nas próximas semanas.

Leia mais:  Governo de MT aumenta em até 53% o valor das bolsas de formação para contratações a partir de abril

A etapa inicial prevê um investimento de R$ 300 milhões na fábrica. Além de equipamentos com tecnologia de ponta, a unidade retoma sua operação com estrutura para ampliar em 2,4 vezes o volume de processamento de bovinos em relação à capacidade anterior.

Com a conclusão das obras de ampliação da planta, em 2024, a unidade de Diamantino da Friboi vai dispor de estruturas inéditas, como um novo túnel de congelamento, um parque ampliado de embalamento de produtos a vácuo e uma área exclusiva para futura instalações de linhas específicas para produção de cortes bovinos.

Fonte: Governo MT – MT

Comentários Facebook
publicidade

Mato Grosso

“Mais do que restaurar o meio ambiente nas propriedades privadas, programa leva conhecimento ao produtor”, afirma secretária de Meio Ambiente

Publicado

O Governo de Mato Grosso apresentou à cúpula do clima da ONU (COP28), nesta segunda-feira (04.12), a operação no Estado do programa Juntos Pelo Araguaia (JPA), considerada a maior iniciativa de recuperação de bacias hidrográficas do mundo. O objetivo é captar recursos que serão empregados na execução do projeto, cuja meta é restaurar 10 mil hectares no bioma Cerrado, sendo cinco mil em Mato Grosso e cinco mil em Goiás.

“Mais do que restaurar o meio ambiente nas propriedades privadas, levamos ao produtor conhecimento sobre a melhor prática a ser aplicada no imóvel, incluindo como ele lida com a natureza e com a mudança do uso da terra”, afirmou a secretária de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT), Mauren Lazzaretti, durante agenda com o Governo de Goiás na 28ª Conferência do Clima da Organização das Nações Unidas (ONU), a COP 28, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos (EAU).

Lançado em 2019 pelos governos federal e estaduais de Mato Grosso e Goiás, os objetivos do programa no Estado são recuperar as nascentes e áreas degradadas no entorno do Rio Araguaia e promover a mudança de cultura sobre práticas sustentáveis de ocupação do território. A iniciativa prevê que pequenos e médios produtores atuem diretamente na recuperação das áreas degradadas já declaradas no Cadastro Ambiental Rural (CAR).

Leia mais:  Governo de MT aumenta em até 53% o valor das bolsas de formação para contratações a partir de abril

Na primeira etapa, a ação é executada em 16 municípios goianos e 12 mato-grossenses. Em Mato Grosso, as cidades impactadas são: Alto Araguaia, Alto Garças, Alto Taquari, Araguainha, Barra do Garças, General Carneiro, Guiratinga, Pontal do Araguaia, Ponte Branca, Ribeirãozinho, Tesouro, Torixoréu.

Novos financiadores

Pessoas físicas ou jurídicas que desejam auxiliar na preservação ambiental podem ajudar o programa com doações voluntárias. Outra maneira de aderir ao projeto é compensar a supressão de vegetação em uma das áreas de abrangência do programa, destacou Mauren durante sua apresentação.

“Nós mostramos, hoje, um projeto inovador, lá no coração do Brasil, realizado pelos estados de Goiás e Mato Grosso que atuam unidos em prol de um objetivo comum”, disse ao afirmar que o objetivo da ação vai além da recuperação da vegetação.

Ao todo, são investidos no programa R$ 2,8 milhões da conversão de multas junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Em Mato Grosso, os recursos investidos são obtidos por meio de um Termo de Ajuste de Conduta firmado junto ao Ministério Público, que prevê o pagamento de multas com serviços ambientais.

Leia mais:  Rede Cidadã reinicia atividades com crianças e adolescentes nesta segunda-feira

Acesse o site www.juntospeloaraguaia.org.br e saiba como se tornar um financiador do programa.

Também participaram do evento, os secretários adjuntos da Sema-MT Alex Marega (Executivo) e Luciane Bertinatto (Gestão Ambiental).

Fonte: Governo MT – MT

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana