conecte-se conosco

Policia Federal

PF atua na repressão de extração de madeira e de garimpos clandestinos em terras indígenas

Publicado

Cuiabá/MT – A Polícia Federal, em ação conjunta com o Ibama e com apoio da PRF e da Funai, está atuando desde o começo do mês de junho, no âmbito da operação contínua Onipresente, no norte do Estado de Mato Grosso, na repressão da extração de madeira e garimpos clandestinos em terras indígenas.

Na madrugada do dia 22/6, foram interrompidas as atividades de 15 caminhões carregados de madeira na Terra Indígena Aripuanã, na região das aldeias Taquaral e Divisa, além de 3 tratores e 3 motos. Esta é uma área muito extensa de desmatamento com estradas que vão de Aripuanã até Rondônia dentro da Terra Indígena. Calcula-se que todos os dias saem dessa área de desmatamento pelo menos 10 caminhões carregados de toras de alto valor.

Além da ação dessa madrugada, nos dias anteriores, equipes também atuaram nos seguintes locais:

– Garimpo no Rio Roosevelt, onde foram inutilizadas 6 balsas, 1 caminhão e 3 motos;

– Garimpo na Terra Indígena Aripuanã, no ponto do Tamari, inutilizados 6 motores e 1 pá carregadeira. Esse ponto também foi alvo da Operação Ato Reflexo, que resultou na prisão de um servidor da Funai e de um cacique que recebia 20% de todo ouro extraído da terra indígena;

Leia mais:  PF cumpre mandado contra suspeito de explorar pornografia infantil na internet

– Fiscalização Terra Indígena Apiaká/Kayabi, Zoró e no Parque Nacional do Xingu.

A escolha das localidades fiscalizadas foi feita através de monitoramento via satélite no sistema Planet, que é capaz de detectar desmatamentos em áreas tão pequenas quanto um quintal de uma casa.  Dessa forma, foi possível uma ação assertiva e eficiente.

Onipresente é uma operação contínua, da qual participam a Polícia Federal e Ibama, no âmbito do programa Guardiões do Bioma do Governo Federal.

Comunicação Social da Polícia Federal em Mato Grosso

[email protected]

(65) 992848987

Instagram: @policiafederal_mt

publicidade

Policia Federal

PF combate crimes ambientais na terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau em Rondônia

Publicado

Ji-Paraná/RO – A Polícia Federal, com apoio da Funai, Ibama e Polícia Militar, deflagrou nesta terça-feira (28/06) a segunda fase da operação S.O.S URU com o objetivo de dar continuidade no combate de ilícitos ambientais na terra indígena Uru-Eu-Wau-Wau.

A Polícia Federal recebeu informações de que criminosos estariam retomando com atividades criminosas de extração ilegal de madeira e invasão de terras públicas após a deflagração da operação SOS URU em Novembro de 2021. Diante deste cenário e visando inibir ilícitos no interior e mediações da terra indígena nova ação foi realizada neste ano, desta vez, com três frentes de atuação, terrestre, sobrevoo e incursões em rios navegáveis na região Norte e Sul.

Diligências foram realizadas para instruir investigações em andamento que tramitam na Delegacia de Polícia Federal em Ji-Paraná/RO.

Durante as incursões e sobrevoos foram encontrados diversos pontos de desmate com árvores derrubadas no interior da terra indígena, um acampamento improvisado, motos utilizadas no deslocamento interno dos infratores. Todos estes meios para a prática de infrações ambientais foram inutilizados, em conjunto com o Ibama, visando cessar a continuidade de atividades criminosas. Vale destacar também que foram inutilizadas redes de pescas ao longo do principal rio da terra indígena que estavam atentando contra a fauna local.

Leia mais:  PF prende dois passageiros com droga nas bagagens

Além de medidas administrativas que foram tomadas pelos órgãos envolvidos na segunda fase da operação S.O.S URU, as ações desenvolvidas contribuíram para inibir a continuidade da degradação na natureza e, especialmente, desarticular o financiamento de práticas criminosas na Uru-Eu-Wau-Wau que possui índios isolados.

Comunicação Social da Polícia Federal em Rondônia
Telefone: (69) 3216-6242 / 6270
E-mail: [email protected]

Fonte: Polícia Federal

Continue lendo

Mais Lidas da Semana