conecte-se conosco

Policia Federal

PF e Receita apreendem 13 quilos de “cocaína negra” em pacotes de maca peruana

Publicado

Brasília/DF. A Polícia Federal e a Receita Federal do Brasil apreenderam, nesta quinta-feira (12/5), aproximadamente 13 kg de cocaína negra com um passageiro no Aeroporto de Brasília. O homem, nacional do Peru, tentava viajar para Lisboa, em Portugal, quando foi preso em flagrante.

Em ação rotineira de fiscalização, policiais federais e servidores da Receita identificaram uma bagagem suspeita que continha diversos pacotes com substância orgânica. Após o proprietário abrir a mala, os policiais verificaram diversos pacotes alimentícios com rótulos de maca negra peruana. Os policiais realizaram testes e confirmaram a presença de cocaína nos produtos.

O homem foi preso e conduzido à Superintendência de Polícia Federal no Distrito Federal e poderá responder por tráfico internacional de drogas, com pena de até 25 anos de prisão.

Em 2019, um colombiano foi preso com cerca de quatro quilos de cocaína negra na estrutura de uma mala, 485 euros e 903 mil pesos colombianos no Aeroporto de Brasília (https://www.gov.br/pf/pt-br/assuntos/noticias/2019/01/pf-prende-colombiano-com-cocaina-preta-escondida-em-mala-no-aeroporto-de-brasilia).

Cocaína Preta

A mistura da pasta-base com outras resinas e substâncias que disfarçam o odor e aparência da droga resultam em uma droga de coloração mais escura também conhecida como cocaína preta.

Leia mais:  Polícia Federal investiga grupo suspeito de falsificação de diplomas de Universidades Federais

Assessoria de Imprensa da Superintendência Regional da Polícia Federal no DF
Fone: (61) 2024-7557
E-mail: [email protected]

publicidade

Policia Federal

PF investiga grupo que utilizava documentos de pessoas fictícias para dissimular a movimentação de recursos, tomar empréstimos e celebrar negócio

Publicado

Juiz de Fora/MG – A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira, 17/5, a Operação Variante de combate à organização criminosa que utiliza documentos de pessoas fictícias para dissimular a movimentação de recursos, tomar empréstimos e celebrar negócios. 

Foram expedidos seis mandados de busca e apreensão pelo juízo da 4ª Vara Federal de Juiz de Fora, que estão sendo cumpridos nesta mesma cidade.

As investigações revelaram que os criminosos utilizavam cartões e recursos de contas de pessoas que não existiam para pagar despesas rotineiras (compras em restaurantes, mercados, pet shops) e até mesmo para financiar um imóvel perante a Caixa Econômica Federal.

Também foram encontrados registros de aquisição de veículos em nome de algumas dessas pessoas fictícias.

As investigações contaram com a colaboração da Caixa Econômica Federal.

Os investigados poderão responder pelo crime de estelionato qualificado, previsto no art.171 §3ª do Código Penal e, se condenados, cumprir mais de 6 anos de reclusão e multa.

Comunicação Social da Polícia Federal em Minas Gerais

Leia mais:  Polícia Federal e BPFRON apreendem carro carregado com veneno agrícola

Fone: (31) 3330-5270.
E-mail: [email protected]

Continue lendo

Mais Lidas da Semana