conecte-se conosco

Economia

População baixa renda pode contratar arquitetos e engenheiros de graça

Publicado


source
População baixa renda pode contratar arquitetos e engenheiros de graça
Thiago Loureiro

População baixa renda pode contratar arquitetos e engenheiros de graça

A população de baixa renda que não tem como contratar arquitetos ou engenheiros para planejarem a reforma de suas casas podem contar, agora, com apoio gratuito de profissionais qualificados. O projeto “Na Régua – Arquitetura acessível, moradia digna”, criado pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Infraestrutura e Obras, disponibiliza assistência técnica de arquitetos, engenheiros e assistentes sociais sem custo. A ação faz parte do Programa Casa da Gente e tem parceria com a Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ).

Nos últimos três meses, o projeto tem montado escritórios em comunidades da Baixada Fluminense e na capital do Estado para entregar os serviços de assistência técnica local para habitações de interesse social, em territórios como Mangueira, Providência, Cajueiro, Serrinha, Buriti Congonhas, Marcílio Dias e Acari. Os locais funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h. Até o final do mês de janeiro, serão entregues mais quatro escritórios: Parque Maré, Rocinha, Brás de Pina e Queimados.

“A realidade que enxergamos nessas comunidades são casas que muitas vezes não têm pias, nem piso ou até mesmo sanitários. Por isso, a palavra de ordem do governador Cláudio Castro para o projeto Na Régua é: nenhuma casa sem banheiro. Dessa forma, nossa missão é entregar mais qualidade de vida a essas famílias, com dignidade habitacional”, destaca o Secretário de Infraestrutura e Obras, Max Lemos.

O sonho de dona Vera Lúcia Sampaio, moradora do Morro da Providência, é poder resolver problemas corriqueiros, como infiltrações e mofo. Para ela, a assistência chegou em um momento crucial:

Leia Também

“Aqui não há quartos. Eu e meus seis netos dormimos na sala, juntos. Quando eu soube que poderia ter assistência gratuita, voltei a ter esperança. Minha casa sofre muito com infiltrações e vazamentos, meu sonho é poder dar uma vida melhor e mais agradável aos meus netos”.

Como solicitar?

Toda família com renda de até seis salários mínimos pode solicitar os serviços oferecidos pelos escritórios regionais do Na Régua, desde que resida na moradia. O objetivo é garantir a habitabilidade e aumentar a salubridade do domicílio.

“Nossos profissionais são treinados para ouvir as demandas, vistoriar os domicílios e propor soluções criativas de baixo custo que resolvam um problema real. O Na Régua nasce para apoiar a saúde e a assistência social, contribuindo com o rompimento do ciclo da reprodução das desigualdades sociais e sanitárias”, diz o Subsecretário de Habitação, Allan Borges.

Leia mais:  Fábrica da Kinder na Bélgica é reaberta após polêmica com salmonellas

Endereços:

  • Mangueira – Endereço: Rua General Bento Ribeiro, nº 4 – Fundação Leão XIII;
  • Providência – Endereço: Rua da Bica, nº 29 – ONG Impacto das Cores;
  • Serrinha – Endereço: Rua Mestre Darcy do Jongo, nº 162 – CUPA;
  • Cajueiro – Endereço: Travessa Central do Sossego, 39 – Associação dos Moradores;
  • Buriti Congonhas – Endereço: Rua Macunaíma, nº 209 – Vaz Lobo;
  • Marcílio Dias – Endereço: Avenida Lobo Junior, nº 83;
  • Acari – Endereço: Rua Guaiuba, nº 210 A.

*Os escritórios funcionam de segunda a sexta-feira, das 9h às 18h.

publicidade

Economia

Pedro Guimarães: Caixa admite ter recebido denúncias de assédio sexual

Publicado

Pedro Guimarães deixou o comando da Caixa nesta quarta-feira (29)
Isac Nóbrega/Presidência

Pedro Guimarães deixou o comando da Caixa nesta quarta-feira (29)

Horas depois de Pedro Guimarães deixar o comando da Caixa Econômica Federal , o banco admitiu pela primeira vez que recebeu “relato” de assédio sexual dentro da instituição pelo canal de denúncias. Segundo a nota divulgada na noite desta quarta-feira, há uma investigação sigilosa em andamento na Corregedoria.

No início da noite, o governo federal confirmou a demissão de Pedro Guimarães por acusações de assédio sexual por funcionárias do banco estatal. Ao mesmo tempo, confirmou o nome de Daniella Marques, atual secretária de Produtividade e Competitividade do Ministério da Economia, como substituta de Guimarães. A troca foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União.

A Caixa destacou que a investigação interna está em andamento desde maio de 2022 e que entrou em contato com “o/a denunciante”. Disse ainda que realizou diligências internas. Ainda nesta quarta-feira, o Ministério Público do Trabalho do Distrito Federal notificou a Caixa para que entregue a relação de denúncias feitas contra o ex-presidente da estatal.

Leia mais:  Vendas do varejo crescem 1,1% de janeiro para fevereiro, diz IBGE

Como mostrou a colunista do GLOBO, Bela Megale, Pedro Guimarães se encontrou com o Bolsonaro durante a tarde. Na reunião, ele oficializou o pedido de demissão da presidência da Caixa Econômica Federal.


Em carta entregue ao presidente e dirigida aos brasileiros e aos colaboradores do banco, Guimarães afirma que não teve tempo para se defender é que é alvo de uma “situação cruel, injusta, desigual e que será corrigida na hora certa com a força da verdade”. No Diário Oficial, a exoneração consta como “a pedido”.

Os relatos contra Guimarães caíram como uma bomba no núcleo político da campanha de reeleição de Bolsonaro. Uma reportagem sobre o tema, acompanhada por vídeos com depoimentos de cinco vítimas de Guimarães, foi publicada na terça-feira pelo site “Metrópoles”.

As funcionárias, cujas identidades foram preservadas, relataram comportamentos inapropriados, como convites, frases constrangedoras e toques em partes do corpo delas.

Leia mais:  FGTS: trabalhadores nascidos em setembro podem sacar até mil reais

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

Fonte: IG ECONOMIA

Continue lendo

Mais Lidas da Semana