conecte-se conosco

Mulher

Prefeitura de SP faz cortes na verba do combate à violência doméstica

Publicado


source
O atendimento a violência domestica subiu 58,2% no primeiro semestre de 2021 na cidade São Paulo
Ana Melo

O atendimento a violência domestica subiu 58,2% no primeiro semestre de 2021 na cidade São Paulo

A prefeitura de São Paulo vai reduzir as verbas destinadas ao combate da violência doméstica. Os cortes aprovados em primeira votação, no dia 2 de dezembro, pelos vereadores da cidade, chegam a 37% do antigo valor da verba, que era destinada a três programas de acolhimento para mulheres vítimas de violência doméstica. Caindo o investimento de R$ 32 milhões, para  R$ 20 milhões por ano durante os próximos 4 anos.  

O projeto encaminhado faz parte do planejamento de ações e metas do prefeito Ricardo Nunes do partido MDB. Podendo ter números ainda menores, segundo dados da própria prefeitura, já que nem sempre o valor previsto é o desembolsado. Como neste ano, que tinha uma estimativa de  R$ 32 milhões, mas foram gastos apenas R$ 29 milhões.

Leia mais:  Fernanda Lima compartilha exame de mamografia com seguidores

De acordo com com dados divulgados pela Secretaria de Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, o número de mulheres que foram atendidas devido a violência doméstica aumentou em 58,2% em relação ao ano anterior, no primeiro semestre de 2021.

No entanto, a mesma secretaria ainda afirma que o orçamento de 2022 “será o suficiente” e que “ com a previsão de um aumento da demanda por atendimento proporcional ao registrado nos últimos anos e, portanto, não haverá queda no investimento”.

Leia Também

Leia Também

Mas na opinião da  presidente da Associação Artemis, Raquel Marques em entrevista ao portal de notícias UOL, é questionável  se o atendimento e o cuidado que essas mulheres irão receber realmente será de qualidade. 

“Mesmo que a prefeitura diga que vem fazendo mais com menos dinheiro, ainda é insuficiente porque a violência doméstica não diminui. O atendimento pode até continuar, mas e a qualidade do serviço?”

Ela ainda afirma que quando o governo coloca em risco a integridade física das cidadãs apenas para diminuir gastos, ele também se torna cúmplice da violência que elas sofrem “Na hora em que o estado diminui a verba de políticas para prevenir formas graves de violência contra a mulher, ele acaba se tornando cúmplice, responsável por omissão”.

Leia mais:  Viny e Eli, do BBB22: Como cada signo lida com um amor impossível?
Fonte: IG Mulher

publicidade

Mulher

Falsificação na moda: conheça as consequências desse tipo de mercado

Publicado

Falsificação na moda: conheça as consequências desse tipo de mercado
Redação EdiCase

Falsificação na moda: conheça as consequências desse tipo de mercado

A comercialização de produtos falsificados pode impactar negativamente na sociedade e no meio ambiente

Por Luana Pellizzer

A compra de produtos falsificados é uma prática muito comum no Brasil, especialmente no mercado da moda. Impulsionados pelos preços mais baixos do que os produtos originais, muitos consumidores optam por adquirir réplicas não oficiais. Mas a falsificação, além de ilegal, gera consequências para o meio ambiente, para a economia e para a sociedade. 

> Conheça as tendências de moda para o outono/inverno de 2022

Legislação Brasileira 

A especialista em direito da moda Dra. Regina Ferreira explica que o Brasil não tem uma legislação específica para proteger as criações de moda , mas que as leis vigentes são usadas na prática para resguardar os direitos dos criadores e para reprimir cópias não autorizadas. “A falsificação é crime e pode gerar consequências cíveis”, ressalta.

Consequências sociais 

Em um primeiro momento, a falsificação gera consequências às marcas, pois resulta na desvalorização de um produto exclusivo. Mas a Dra. Regina Ferreira destaca que o processo de produção e comercialização da falsificação também desencadeia uma questão social séria, que passa despercebida.

Leia mais:  Conheça os famosos do signo de Gêmeos

“O mercado ilícito, em razão da sua natureza informal, fomenta as atividades ilícitas de organizações criminosas, a exploração do trabalho. A penalidade para a falsificação é relativamente baixa, mas as consequências para a sociedade são altamente danosas”. 

> Cabelos coloridos: veja 4 tendências que não saem da moda

Problemas ambientais 

Além dessas questões, existe também o comprometimento ambiental. A Dra. Regina Ferreira explica que, “geralmente, as fábricas não respeitam legislações ambientais. Assim, o processo de produção pode conter resíduos e substâncias tóxicas, com a possibilidade de contaminação de afluentes e a exposição dos trabalhadores a esses produtos químicos que são danosos à saúde.”

Por fim, a especialista em direito da moda explica que em ações de busca e apreensão, os produtos falsificados são descaracterizados e descartados, já que não podem ser devolvidos ao mercado, e que por consequência geram ainda mais lixo para sociedade. 

Confira mais conteúdos sobre beleza.

Fonte: IG Mulher

Continue lendo

Mais Lidas da Semana