conecte-se conosco

Saúde

Rio tem 10.698 mortos por covid-19 e mais de 121 mil infectados

Publicado


.

O estado do Rio de Janeiro registrou 31 novos óbitos por covid-19 em 24 horas, somando 10.698 mortes pela doença desde o início da pandemia. De acordo com o boletim divulgado hoje (6) pela Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro, 121.879 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus e 1.018 óbitos são investigados para determinar se o vírus foi o causador. Entre os casos confirmados, 101.554 pacientes se recuperaram da doença.

Mortes

Do total de 10.698 óbitos pela covid-19 no estado, a maioria 6.924 foi na capital fluminense. Em seguida vem São Gonçalo (478); Duque de Caxias (456); Nova Iguaçu (351); São João de Meriti (242);  Niterói (232); Belford Roxo (183); Magé (135); Itaboraí (133); Mesquita ( 111); Campos dos Goytacazes  (110) e Petrópolis (95).

Cidades do interior do estado como Areal, Cambuci, Cantagalo, Conceição de Macabu, Cordeiro, Duas Barras, Itaperuna, Macuco, Natividade, Pinheiral, Porto Real, Rio das Flores e São Sebastião do Alto registraram um óbito cada.  

Infectados

A cidade do Rio de Janeiro também tem disparado o maior número de contaminados pela covid-19, com 60.596 casos. Niterói (6.722); São Gonçalo ( 5.683); Nova Iguaçu (3.485); Duque de Caxias (3.360); Itaboraí (2.676); Macaé (2.547); Angra dos Reis (2.321); Campos dos Goytacazes (2.020);  Volta Redonda (1.954); São João de Meriti (1.776); Queimados ( 1.772); Magé ( 1.692); Belford Roxo ( 1.528); Itaguaí ( 1.521);  Maricá (1.413); Teresópolis (1.117) e Cabo Frio (959) estão entre os 92 municípios do estado com o maior número de infectados.

Leia mais:  Ministro diz que governo trabalha para que pais vacinem seus filhos

Para mais informações, acesse o painel de monitoramento de casos no estado do Rio de Janeiro.

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

publicidade

Saúde

Losartana: saiba marcas de remédios que não tiveram que ser recolhidos

Publicado

Medida foi tomada devido a
Christine Sandu / Unsplash

Medida foi tomada devido a “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”

Na última quinta-feira, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a interdição e recolhimento de lotes de alguns medicamentos com princípio ativo da losartana . Este tipo de medicação é um dos mais indicados e usados no Brasil para o tratamento de pressão alta (hipertensão arterial) e insuficiência cardíaca, reduzindo o risco de derrame e infarto.

Segundo a agência, a medida foi tomada devido à “presença da impureza ‘azido’ em concentração acima do limite de segurança aceitável”. A Anvisa ainda ressalta que o recolhimento não impacta o tratamento, visto que há outros lotes de losartanas no mercado que podem substituir os medicamentos recolhidos ou interditados.

Confira abaixo quais são as marcas de medicamentos à base de losartana disponíveis no Brasil que não foram alvo de recolhimento ou interdição pela Anvisa:

  • EMS;
  • Germed;
  • Torrent;
  • Organon;
  • Pharlab;
  • Multilab;
  • Nova Química;
  • Sandoz;
  • Vitamedic;
  • Sanofi Medley
  • Legrand;
  • Ranbaxy;
  • Unichem;
  • 1FARMA;
  • Aurobindo Pharma;
  • Laboratório Globo;
  • Zydus Nikkho.
Leia mais:  Escolas enfrentam problemas causados pela evasão escolar na pandemia

Vale ressaltar que mesmo entre as marcas alvo de recolhimento ou interdição — Ache, Biolab, Brainfarma, Cimed, Eurofarma, Geolab, Teuto, Prati — apenas alguns lotes foram afetados. O número dos lotes recolhidos estão especificados no site da Anvisa. Assim como o número dos lotes que foram interditados cautelarmente.

A Anvisa e a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC) alertam que os pacientes que fazem uso da losartana devem continuar utilizando o seu medicamento, mesmo que ele esteja entre os lotes afetados . A troca deve ser realizada apenas sob orientação médica e apenas quando o novo medicamento estiver em mãos.

A interrupção do tratamento da hipertensão arterial e da insuficiência cardíaca pode produzir malefícios instantâneos, inclusive risco de morte por derrame, ataques cardíacos e piora da insuficiência cardíaca.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Leia mais:  Doria diz que todas as crianças devem ser vacinadas em até 3 semanas

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Mais Lidas da Semana