conecte-se conosco

Destaque

Rondonópolis não tem previsão de chuva para os próximos 15 dias

Publicado

Outro problema que se agrava com esse tempo é a proliferação de queimadas

O clima seco no município de Rondonópolis já tem começado a afetar a população, principalmente para quem já tem problemas respiratórios. Crianças e idosos são os que mais sofrem com esse clima.

De acordo com estimativas do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos (CPTEC) o clima deve continuar seco ainda por um bom tempo. Não há previsão de chuva para os próximos 15 dias e a umidade relativa do ar deve ficar entre 20% e 30%. Entre as consequências que este clima pode provocar estão o ressecamento dos olhos, boca e nariz, além do aumento no número de infecções. As principais doenças que se manifestam são as rinites, sinusites, pneumonias e asma.

Outro problema que se agrava com esse tempo é a proliferação de queimadas. De acordo com os dados mais recentes do CPTEC/INPE,  Mato Grosso é o estado com maior número de focos de queimadas do Brasil, representando mais de 30% do total de queimadas do país. Os dados apontam 1518 focos registrados neste mês, o que supera junho do ano passado que teve um total de 1476 focos.

Leia mais:  Jovem que matou o ex no ato sexual irá ao regime semiaberto nos próximos dias, diz TJ-RO

Para minimizar os problemas, especialistas recomendam as seguintes medidas:

Beber bastante água – cerca de dois litros por dia;

Se exercitar na hora certa – evitar exercícios físicos entre 10h e 17h (quando o ar está menos úmido);

Umedecer o ambiente – usar umidificadores de ar. Evitar ar-condicionado, pois resseca o ambiente;

Lavar o nariz – aplicar soro fisiológico algumas vezes ao dia;

Deixar a casa sempre limpa e arejada – o acúmulo de poeira aumenta problemas alérgicos e respiratórios;

Evitar aglomerações – locais fechados e com grande concentração de pessoas, como shoppings e supermercados, podem acentuar as dificuldades respiratórias.

publicidade

Destaque

Justiça: Prefeitura abasteceu ônibus escolar que não tinha rodas

Publicado

Além de Assis Raupp, mais cinco ex-secretários foram denunciados pelo Ministério Público

A Justiça determinou o bloqueio de bens do ex-prefeito de Colniza, João Assis Ramos, o Assis Raupp, e mais quatro servidores do Município por suposta fraude na aquisição de óleo diesel para uso de um ônibus escolar sucateado, que se encontra abandonado e não possui sequer rodas.

Conforme decisão liminar proferida pelo juiz Ricardo Frazon Menegucci, os fatos apontam para fortes indícios de ato improbo, porque o ônibus escolar ‘talvez não sirva nem para sucata’ – conforme apontado na decisão –, além de outros desvios relacionados a veículos da Prefeitura, como uma pá-carregadeira cuja quantidade de combustível adquirida é acima do consumo possível para o período justificado, e um caminhão que não pertencia à frota municipal.

“É evidente que o feito não se encontra na fase instrutória, mas são fortes os indícios de ato ímprobo, eis que fora adquirido combustível para um ônibus escolar abandonado, sem rodas, que talvez não sirva nem para sucata”, diz trecho da decisão.

Leia mais:  Jovem que matou o ex no ato sexual irá ao regime semiaberto nos próximos dias, diz TJ-RO

Ao analisar o caso, o magistrado destacou ainda que a medida cautelar de indisponibilidade tem como finalidade evitar que o dano ao erário fique sem reparação, de forma que se comprovado que não houve ato de improbidade, nada impede de que a medida seja revogada e o processo encerrado.

Assis Raupp foi eleito prefeito de Colniza em 2012. Investigado pela Câmara Municipal por atos de improbidade, ele foi afastado do cargo e acabou cassado em 2016.

Naquele mesmo ano, ele tentou novo mandato de prefeito, mas sua candidatura foi indeferida.

 

Continue lendo

Mais Lidas da Semana