conecte-se conosco

Economia

Salário médio de estatais chega a R$ 34,1 mil, aponta Economia

Publicado


source
Sede da Petrobras no Rio de Janeiro (RJ)
Guia do Investidor

Sede da Petrobras no Rio de Janeiro (RJ)

A PPSA, estatal que opera a parte da União do pré-sal, paga um salário médio de R$ 34,1 mil para seus funcionários, o maior patamar entre todas as 46 empresas estatais. A estatística consta no relatório de benefícios das empresas estatais federais divulgado nesta sexta-feira pelo Ministério da Economia.

O maior salário da empresa é de R$ 44,9 mil e o menor de R$ 13,5 mil. Esses valores não consideram a diretoria da estatal, somente os empregados.

Em seguida, a empresa que paga o melhor salário em média é o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), com R$ 31 mil, e a Petrobras, que paga em média R$ 25,2 mil para seus funcionários.

Essa última registrou o maior salário individual entre todas as empresas estatais, de R$ 145,2 mil.

O levantamento mostrou que os 453,91 mil empregados das 46 estatais somaram R$ 96,6 bilhões em salários pagos em 2020. Houve também R$ 8,6 bilhões de gastos com benefício de assistência à saúde e R$ 14,1 bilhões com previdência complementar.

Leia mais:  Pacheco diz que privatização da Petrobras "não está na mesa"

Além dos salários, as empresas costumam oferecer uma lista extensa de benefícios. A Codevasf, por exemplo, que tem uma média salarial de R$ 20,8 mil, oferece um auxílio refeição de R$ 1.015,50 por mês e um vale-cultura de R$ 50 mensais.

Leia Também

No caso da Petrobras, os funcionários recebem R$ 1.254,48 em assistência alimentar mais um vale-refeição de R$ 192. Há também um auxílio-ensino que reembolsa parte do valor gasto pelos funcionários com a educação dos filhos.

Já o BNDES oferece um auxílio-refeição de R$ 1.521,80 por mês mais uma cesta-alimentação de R$ 636,17 por mês, sendo 13 cestas por ano.

Empresas com menores salários

Do outro lado da lista, a Indústria de Material Bélico do Brasil (Imbel), ligada ao Ministério da Defesa, tem um salário médio de R$ 2.124, o menor entre as estatais. São 1.899 empregados, com o maior salário de R$ 15.167 e o menor de R$ 1.275.

Leia mais:  INSS retoma atendimento: veja serviços que precisam de agendamento

Em segundo lugar, os Correios têm uma média salarial de R$ 4.266. Com 98.101 empregados, a maior remuneração é de R$ 50.080 e a menor é de R$ 1.357. Os funcionários ainda recebem um vale alimentação de R$ 1.172,96 por mês e um vale-cesta de R$ 244,73 mensal.

A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), que gerencia os hospitais universitários no país, tem 38.154 empregados e paga um salário médio de R$ 5.919. Os funcionários ainda contam com um auxílio-alimentação de R$ 563,16 mensais.

publicidade

Economia

Petrobras: Senador quer que STF investigue interferência de Bolsonaro

Publicado

source
Bolsonaro é acusado de interferir na Petrobras
Isac Nóbrega/PR

Bolsonaro é acusado de interferir na Petrobras

O líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), apresentou um pedido ao Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar o presidente Jair Bolsonaro (PL) por suposta interferência na Petrobras. A ação é motivada após o ex-presidente da companhia Roberto Castello Branco afirmar, em um grupo privado, que seu antigo telefone tinha provas que poderiam incriminar o mandatário.

Em um grupo privado de mensagens com economistas, Castello Branco diz que antigo seu celular corporativo tinha mensagens e áudios que provavam que Bolsonaro tinha interferido na Petrobras. O caso foi antecipado pelo site “Metrópoles”.

O aparelho foi devolvido à companhia após Castello Branco ter deixado a presidência da Petrobras, no início do ano passado. Na conversa, o ex-presidente não detalha quais seriam os crimes que Bolsonaro teria cometido.

No pedido ao STF, Randolfe pede, além da abertura do inquérito contra Bolsonaro, por parte da Procuradoria-Geral da República (PGR), que Castello Branco preste depoimento sobre o caso e que o celular citado seja apreendido para ser periciado. O senador pede também que as mensagens que eventualmente forem encontradas sejam divulgadas.

Leia mais:  Governo prorroga redução de 25% no IPI; Guedes havia prometido 33%

Entre no  canal do Brasil Econômico no Telegram e fique por dentro de todas as notícias do dia. Siga também o  perfil geral do Portal iG

“Solicitamos a Vossa Excelência que se oficie ao Procurador-Geral da República para analisar a abertura de inquérito investigativo em face do Presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, para que esclareçam os fatos e os eventuais crimes cometidos por ele contra o erário público, com a tomada urgente de depoimento do Sr. Roberto Castello Branco, ex-presidente da Petrobras, e de Rubem Novaes, ex-presidente do Banco do Brasil, bem como a tomada das medidas acautelatórias indispensáveis ao esclarecimentos dos fatos, tais como a busca e apreensão do telefone celular indicado, a sua perícia e a imediata publicidade sobre os conteúdos que digam respeito ao caso, que contempla manifesto interesse público subjacente”, disse no documento.

Leia mais:  Pacheco diz que privatização da Petrobras "não está na mesa"

Randolfe pede ainda que a apreensão do celular seja feita o mais rápido possível a fim de evitar que o conteúdo das mensagens sejam apagados.

“Tal medida acautelatória é, por pressuposto, urgente, na medida em que há real risco de iminente apagamento de todos os dados que porventura impliquem o Presidente da República em atos criminosos.”

Continue lendo

Mais Lidas da Semana