conecte-se conosco

Agro News

Aprosoja MT e Assembleia Legislativa firmam parceria em ação social

Publicado


Fortalecimento Institucional

Aprosoja MT e Assembleia Legislativa firmam parceria em ação social

O Termo de Fomento entre as instituições visa a distribuição de 100 mil cestas básicas às famílias carentes de MT

ALMT

13/09/2021

Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja MT), e a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), assinaram na tarde desta segunda-feira (13.09), Termo de Fomento que tem como objetivo a distribuição de cestas básicas às famílias carentes do Estado. A parceria faz parte do projeto AgroSolidário da entidade de responsabilidade social dos mais de 7.500 associados.

O projeto atuará em duas frentes: a arrecadação de valores mediante doação dos associados, parceiros e apoiadores do projeto, com expectativa de arrecadação de valores para aquisição de até 50 mil cestas básicas, e a distribuição para os beneficiários dos 47 municípios do Estado que estão interligados ao núcleo da Aprosoja, e que se enquadram aos critérios do programa.

A inciativa do AgroSolidário vai ao encontro da proposta da Aprosoja em promover a melhoria de qualidade de vida de pessoas que passam por necessidades, em razão dos impactos socioeconômicos e financeiros da pandemia do coronavírus (COVID-19), que assola o país. Para cada cesta básica que a Aprosoja MT doar a AL fará a doação de mais uma.

Leia mais:  Diretoria realiza reunião com produtores em Campo Novo

“Fico feliz em receber os diretores da Aprosoja MT, essa Casa também é de vocês, e sem dúvidas que essa parceria vai mostrar que tanto a os produtores rurais, quanto os deputados estão imbuídos no mesmo propósito, que é de ajudar o nosso Estado, independente do que seja a pauta, e nesse caso levar alimento para centenas de famílias mato-grossenses”, frisou a segunda-secretária da Assembleia Legislativa, deputada Janaina Riva.

Para o primeiro-secretário da AL, deputado Eduardo Botelho, “essa é uma parceria que nós sempre queríamos fazer, que é com o agro, empresários e apoiadores trabalhando com o poder legislativo, para atender a população carente do Estado. Estamos satisfeitos com a parceria. Parabéns aos gigantes do agro que fazem com que Mato Grosso seja o celeiro do mundo.

De acordo com o presidente da Aprosoja MT, Fernando Cadore, o Programa AgroSolidário existe há 12 anos e já atende 86 instituições em todo Estado. “E agora com essa parceria nós produtores rurais e a Assembleia Legislativa vamos doar alimentos a quem mais necessita. A cada cesta básica que o produtor arrecadar a AL fará também a doação de mais uma. Esperamos adquirir cerca de 100 mil cestas ao longo do projeto e com essa atitude atender boa parte da população. É uma pequena contribuição, mas que, com certeza trará bons frutos”, declarou Cadore.

Leia mais:  Escola Nacional de Gestão Agropecuária completa cinco anos

AGROSOLIDÁRIO – Atua em parceria com creches, asilos, hospitais, entidades filantrópicas, APAE, entre outros.  Atualmente são 86 instituições beneficiadas que estão distribuídas em mais de 38 cidades mato-grossenses. É um programa de responsabilidade social da Aprosoja. São três frentes de atuação: distribuição de alimento à base de soja para crianças, idosos e enfermos; orientação nutricional para mães de baixa renda; e ajuda financeira para iniciativas culturais que dão oportunidades às crianças carentes.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

publicidade

Agro News

Os impactos da reforma tributária são apresentados em palestra

Publicado


Fortalecimento Institucional

Os impactos da reforma tributária são apresentados em palestra

O tema foi apresentado pelo professor Marcos Cintra no encerramento do Circuito Aprosoja, na noite desta segunda-feira (13.09), em Cuiabá

13/09/2021

“A reforma tributária como está não traz benefícios ao Brasil, a maioria dos setores sofrerá aumento considerável de tributos, principalmente a agricultura, que poderá ser severamente prejudicada”, enfatizou o professor Marcos Cintra, em palestra realizada no encerramento do 15º Circuito Aprosoja, em Cuiabá, na noite desta segunda-feira (13.09), com o tema “Tributação: Quem paga a Conta”?

Os impostos no Brasil em 30 anos da Constituição Federal foram criados 390.726 normas tributárias e mais de R$ 5,3 trilhões, são discutidos na justiça. Uma estrutura complexa que gera impacto elevado sobre quem produz, além de alto custo para as empresas cumprirem regras.

Empresas gastam R$ 55 bilhões por ano par atender as exigências fiscais, o que estimula e facilita a sonegação. Para ter uma ideia, os governos deixam de arrecadar meio trilhão de reais por ano com sonegação o que acaba sobrecarregando assalariados e empresas organizados como forma compensatória.

Leia mais:  Ministra incentiva bancos privados a financiarem a produção sustentável no Brasil

De acordo com o idealizador do Imposto Único, “a Emenda n° 2 a PEC 45/2019 é uma alternativa que pode destravar a reforma tributária, uma vez que não agride o pacto federativo e não impacta a sociedade.

A proposta do professor Marcos Cintra prevê a substituição de vários impostos por apenas um que é o Imposto Único Federal (IUF). Seria de apenas 2,81% para quem paga e 2,81% para quem recebe em todas as transações financeiras, tais como cheques, ordens de pagamento, DOCs, TEDs, transferências eletrônicas, etc. O IUF seria uma saída viável frente ao burocrático Imposto sobre Valor Agregado (IVA).

“São várias as vantagens com Imposto Único, o trabalhador deixaria de ter descontos do Imposto de Renda quando recebesse seu salário. Ou seja, o assalariado teria seu poder de compra elevado. O mercado consumidor seria ampliado, criando condições para o crescimento econômico autossustentado”.

As empresas seriam beneficiadas com a redução de seus custos administrativos e burocráticos. Estima-se que as necessidades relacionadas a administração dos tributos representam de 20% a 30% dos custos administrativos das empresas. Esses recursos poderiam ser aplicados pelas empresas em novos investimentos, gerando produção, emprego e renda. “Ou seja, o Imposto Único Federal (IUF) garante um sistema tributário mais justo e eficiente”, declarou o professor.

Leia mais:  Diretoria realiza reunião com produtores em Campo Novo

Para o presidente da Associação dos Produtores Rurais de Mato Grosso (Aprosoja MT), Fernando Cadore, não adianta a gente aumentar a arrecadação sem a destinação correta dos tributos. “Estamos mostrando aos nossos produtores rurais associados, autoridades e sociedade em geral os impactos que a reforma tributária pode causar, caso seja aprovada da forma que está. Percorremos quase 5 mil quilômetros, visitamos 20 municípios e mais a Capital do Estado levando informações da entidade, e principalmente ouvir as demandas dos nossos produtores críticas e sugestões”, enfatizou Cadore.

Fonte: Rosangela Milles

Assessoria de Comunicação

Contatos: Telefone: 65 3644-4215 Email: [email protected]

Fonte: APROSOJA

Continue lendo

Mais Lidas da Semana