conecte-se conosco

Cidades

Atenção primária prisional tem novas equipes homologadas pela Saúde

Publicado


O Ministério da Saúde homologou novas 198 equipes de atenção primária prisional sob a gestão de Municípios, Estados e do Distrito Federal. Assim, os Entes contemplados receberão incentivos financeiros pelas equipes listadas. A medida foi publicada na Portaria 1.497/2021, no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 7 de julho.

No total, foram homologadas 67 equipes de atenção primária prisional que estão sob a gestão de 50 Municípios brasileiros. Essas prefeituras receberão juntas R$ 2.167.162,43 por mês para custeio. O valor por equipe varia de acordo com a composição de cada uma. Já sob a gestão de Estados e do DF foram homologadas 131 equipes. Para esses Entes, o repasse mensal somará R$ 3.686.591,18.

Acesse aqui a relação das equipes e os valores nos Anexos I e II da Portaria 1.497/2021.

Saúde no sistema prisional
A Política Nacional de Atenção Integral à Saúde das Pessoas Privadas de Liberdade no Sistema Prisional (Pnaisp), instítuida pela Portaria Interministerial 1/2014, tem como objetivo principal a promoção do acesso das pessoas privadas de liberdade à Rede de Atenção à Saúde.

Além disso, a política visa a garantir a autonomia dos profissionais de saúde para a realização do cuidado integral das pessoas privadas de liberdade, qualificar e humanizar a atenção à saúde no sistema prisional por meio de ações conjuntas das áreas da saúde e da justiça, promover as relações intersetoriais com as políticas de direitos humanos, afirmativas e sociais básicas, bem como com as da Justiça Criminal e fomentar e fortalecer a participação e o controle social.
A Pnaisp pode ser acessada aqui.

Fonte: AMM

Leia mais:  Mato Grosso registra 521.353 casos e 13.497 óbitos por Covid-19

publicidade

Cidades

Mato Grosso registra 532.502 casos e 13.732 óbitos por Covid-19

Publicado


Há 152 internações em UTIs públicas e 82 em enfermarias públicas; taxa de ocupação está em 38% para UTIs e 14% em enfermarias

A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta terça-feira (21.09), 532.502 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 13.732 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 590 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 532.502 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 3.790 estão em isolamento domiciliar e 514.179 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 152 internações em UTIs públicas e 82 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está 38,87% para UTIs adulto e em 14% para enfermarias adultos.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (109.884), Rondonópolis (37.499), Várzea Grande (37.463), Sinop (25.712), Sorriso (18.122), Tangará da Serra (17.660), Lucas do Rio Verde (15.559), Primavera do Leste (14.653), Cáceres (11.757) e Barra do Garças (10.545).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link

O documento ainda aponta que um total de 386.221 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 116 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na segunda-feira (20.09), o Governo Federal confirmou o total de 21.247.667 casos da Covid-19 no Brasil e 590.955 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país tinha de 21.239.783 casos da Covid-19 no Brasil e 590.752 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta terça-feira (21.09).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: AMM

Leia mais:  AMM orienta gestores para que efetuem pagamentos apenas por meios eletrônicos

Continue lendo

Mais Lidas da Semana