conecte-se conosco

Tribunal de Justiça de MT

Balcão Virtual realiza primeiro atendimento com advogado direto de Paris

Publicado


A partir de agora, os advogados já podem contar com um novo canal de atendimento para tirar dúvidas e solicitar demandas junto à Justiça de Mato Grosso. Isto porque o Balcão Virtual – plataforma de atendimento por videoconferência, que faz a comunicação entre os advogados e as secretaria das unidades judiciárias – iniciou seus primeiros atendimentos na última sexta-feira, dia 19 de fevereiro de 2021.
 
Direito da França – Um dos primeiros a experimentar a nova plataforma foi o advogado Mauro Marchiori, que solicitou um atendimento à Secretaria Civil Unificada, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, direto da capital francesa, Paris.
 
“O atendimento funcionou muito bem! Vi pelo site do Tribunal que o serviço estava disponível e resolvi acessar. Logo que cliquei no link, já fui direcionado para a plataforma de videoconferência do Microsoft Teams. Esperei menos de 5 minutos e já fui atendido. Eu fiquei bastante impressionado, pois nos outros estados ninguém implementou isso ainda. Em São Paulo, por exemplo, o atendimento está sendo feito por telefone. E esta ferramenta é muito melhor do que o telefone. Estou em Paris, mas cuido deste caso em Mato Grosso e facilitou muito para mim”, garantiu o advogado.
 
Thayná Barbosa, diretora da Secretaria Civil Unificada do TJMT, que acompanhou o atendimento de Mauro, conta que a solicitação do advogado foi prontamente atendida. “Ele entrou em contato para pedir prioridade no julgamento, uma vez que o cliente dele é idoso. E logo após o atendimento foi dado o devido impulsionado para constar nos autos que se trata de processo com prioridade”, contou Thayná.
 
Atendimento on-line – A diretora acredita que embora a intenção não seja substituir o balcão físico, muito em breve o Balcão Virtual deverá se tornar um canal prioritário de atendimento. “São vários os benefícios trazidos pelo Balcão Virtual, mas a comodidade do advogado não precisar se deslocar até o Tribunal é, certamente, a maior vantagem. Sem contar com a economia de recursos, especialmente dos advogados que estão fora de Cuiabá”, explicou.
 
A experiência com a plataforma também foi bastante positiva para a gestora administrativa da Secretaria Auxiliar da Vice-Presidência, Célia Corvoisier. “A ferramenta é mais uma forma de promover a agilidade no atendimento aos advogados. Temos recebido diversas solicitações, como andamento e impulsionamento de processos, e conseguimos dar um retorno em tempo real”, destacou a gestora.
 
O Serviço – No Balcão Virtual, o atendimento é feito sem agendamento e em tempo real, da mesma forma que é prestado no balcão físico da unidade. Através da plataforma de videoconferência, o advogado pode entrar em contato com a unidade de atendimento das Secretarias Cíveis, Criminais, Órgão Especial, Secretarias Auxiliares da Presidência e Vice-Presidência, e Conselho da Magistratura, para tratarem de assuntos envolvendo processos físicos ou eletrônicos em tramitação.
 
Quando se tratar de processo que tramita em segredo de justiça, o advogado deve apresentar documento original com foto antes de ingressar na reunião. O recurso funciona durante o horário de expediente do Poder Judiciário.
 
Para utilizar a ferramenta, basta clicar no banner localizado no centro do site do Poder Judiciário ou acessar https://balcaovirtual.tjmt.jus.br
 
Acesse AQUI o Balcão Virtual.
 
Mariana Vianna
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 
 

Leia mais:  Juíza entrega à Prefeitura de Mirassol alimentos para famílias em situação de vulnerabilidade

publicidade

Tribunal de Justiça de MT

Feminicídio: crescimento reforça necessidade de fortalecer rede de proteção às mulheres

Publicado


Depois de dois anos sem registrar feminicídio, Cuiabá teve cinco ocorrências deste tipo de crime durante a pandemia. Em Mato Grosso, o crescimento de casos registrados foi de 64,8%. Em 2018 foram 35 feminicídios e em 2020, 54 casos. O dado foi apresentado pela delegada Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá, Jozirlethe Magalhães Criveletto, durante participação na Audiência Pública “Diagnóstico da Violência Doméstica no ano de 2020 e estratégias para melhoria do sistema de proteção”.
 
O evento é uma realização do Poder Judiciário de Mato Grosso (Presidência, Corregedoria-Geral da Justiça e Cemulher) e foi realizado em ambiente virtual na tarde desta sexta-feira (09/04), por meio da plataforma Teams. Houve transmissão pelo canal do Youtube do Judiciário.
 
Jozirlethe Criveletto, que atua há 19 anos na área da violência doméstica, integra a equipe da Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Cuiabá e tratou do sub-tema: “O Funcionamento da Rede de Proteção de Cuiabá” ao apresentar os dados que são da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso (Sesp-MT). Segundo ela, além de feminicídio, outros casos de violência contra mulher cresceram no Estado se comparado os anos de 2019 e 2020, como estupro (crescimento de 6%) e importunação sexual (aumento de 25%).
 
A delegada lembrou que o Protocolo de Intenções da criação da Rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar contra a mulher em Cuiabá, foi assinado em 21 de agosto de 2019, citou que um dos objetivos é o de reduzir os índices deste tipo de violência na Capital, além de promover mudança cultural, a partir da disseminação de atitudes igualitárias, da prática de valores éticos e de respeito às diversidades de gênero e finalizou a apresentação falando dos desafios para o fortalecimento desta rede de proteção.
 
“Precisamos estabelecer um fluxo de Rede, fazer o planejamento estratégico e seu monitoramento e criar um Banco de Dados comum aos integrantes da rede e maior integração entre os segmentos que trabalham com o tema no desenvolvimento de parceria e pactos”, citou. “As vítimas de violência precisam retomar suas vidas e muitas vezes não tem animo para sequer fazer a denúncia. Precisamos pensar em como trabalhar a saúde mental dessas mulheres”, completou.
 
Antes da delegada, o eixo III teve a participação da delegada do Plantão 24hs de violência doméstica e sexual de Cuiabá, Lizzia Kelly Ferraro, que abordou o sub-tema “Acolhimento e primeiro atendimento às vítimas de violência doméstica”, sobre a realidade de Cuiabá, único município mato-grossense que conta com esse tipo de serviço. A delegada explicou que o atendimento 24 horas começou a funcionar em setembro do ano passado e já ouviu 5449 pessoas. Falou sobre a estrutura que proporciona acolhimento a mulheres vítimas de violência doméstica e sexual, bem como crianças e idosos. “Estamos em um ambiente diferenciado para receber essas vítimas, onde ela pode ser ouvida em sigilo, em sala reservada e com atendimento psicossocial”, descreveu.
A delegacia conta com cinco delegadas mulheres, dois escrivãs, quatro investigadores e um profissional psicossocial. “A tendimento humanizado requer espaço adequado”, completa Lizzia Ferraro.
 
A psicóloga da Rede de Proteção à Mulher da Delegacia da Mulher, Jaqueline Vilalba Fernandes, discutiu o sub-tema “A Importância da rede de proteção no atendimento a mulher vítima de violência doméstica”, e explicou como é feito o atendimento psicossocial das vítimas. “Temos o momento inicial de acolhimento e questões gerais, no momento meio falamos sobre questões da vida da mulher, a violência e reflexões, há preenchimento do Formulário Nacional de Avaliação de risco, quando é solicitada a medida protetiva. Segue com o encaminhamento para a Rede de Proteção e o encerramento do atendimento e acompanhamento do caso”, descreve.
 
 
A realização de audiências públicas está prevista no Plano de Gestão. Ouvir a comunidade é considerado essencial para a melhoria dos serviços públicos. O evento é dividido em três eixos: O Aumento da Violência Sexual na Pandemia (relatório de dados); Patrulha Maria da Penha (a experiência do Estado de Mato Grosso) e Desenvolvimento da Rede de Proteção à Mulher Vítima de Violência Doméstica.
 
Também colaboram com a discussão da tarde desta sexta: a juíza de Rondonópolis, Maria Mazarelo Farias Pinto, titular da Vara Especializada de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher (Eixo I), e a tenente coronel da PMMT, ativista feminina, Emirella Perpétua Souza Martins (Eixo II).
 
Você também pode ajudar no combate à Violência contra a Mulher, compartilhe o material no Instagram com as hashtags: #audienciapublicatjmt #audienciamulher #quebreociclo #tjmtmulher #violenciadomestica #diganao e marquem o @tjmtoficial.
 
Leia mais sobre o assunto:
 
 
 
 
 
Veja AQUI como foi a audiência pública.
 
Alcione dos Anjos
Coordenadoria de Comunicação da Presidência do TJMT
 

Leia mais:  Peticionamento eletrônico já é possível no TJMT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana