conecte-se conosco

Agro News

Conheça o grupo resgate que atua no salvamento de animais vítimas dos incêndios no Pantanal

Publicado

Com o período de estiagem se aproximando, as preocupações com as queimadas no Pantanal aumentam, especialmente aquelas causadas pelas ações humanas. Um dos trabalhos mais importantes que são realizados nesse período, é o resgate de animais que foram afetados pelos incêndios.

O Grupo de Resgate de Animais em Desastres (GRAD) atua conforme a demanda, assim as equipes se deslocam de todo o Brasil para ajudar os animais que precisam ser resgatados.

Foto: Arquivo Grad

Thiago Graça, o Zootecnista responsável pela unidade de Mato Grosso, explica que o grupo faz parte de um âmbito nacional, com técnicos profissionais da área e conta com a participação de veterinários, biólogos, zootecnistas, oceanógrafos, jornalistas e demais profissionais que compactuam com a causa animal.

O Grupo de Resgate de Animais em Desastres, surgiu com o propósito de ajudar animais domésticos e silvestres vítimas de desastres naturais como incêndios e enchentes.

Enchentes, inundações, deslizamento de terra são os desastres ambientais mais comuns de serem vistos ao redor do país. No estado de Mato Grosso, entretanto, o grupo atua no resgate de animais que são vítimas de incêndios, devido ao fato de o Pantanal queimar praticamente todos os anos, o que consequentemente vai afetando cada vez mais a fauna e a flora pantaneira.

Leia mais:  Mudança climática e mercado de carbono são destaques em palestra da Aprosoja-MT

Vale ressaltar que, atualmente a entidade conta com a participação de mais de 70 voluntários em todo o país, sendo eles de diversas regiões do Brasil, como por exemplo Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Norte.

No estado mato-grossense a demanda de animais silvestres é grande, devido ao Pantanal ser um bioma de grandeza significativa que recebe muitos animais, principalmente as aves que vêm de fora.

Todos os anos o Pantanal é atingido pelas queimadas, especialmente em período de estiagem, perante a isso, o representante do grupo, Thiago, dá algumas dicas de como evitar queimadas e ensina algumas ações que podem auxiliar no combate e no controle do fogo. Sendo elas, controle de biomassa, entrada e saída de animais e a implantação de açudes e aceiros.

Após as equipes de resgate retirarem os animais dos lugares de risco, eles são tratados com acompanhamento veterinário até que possam retornar a seus respectivos habitats. Após as necessidades sanitárias, clínicas e nutricionais serem atendidas, os animais já podem ser encaminhados para a soltura, isso somente no caso de o animal já estar em condições de retornar a sua vida livre.

Leia mais:  Ações no combate as mudanças climáticas globais são apresentadas pela Aprosoja-MT

COMO PARTICIPAR

Para aqueles que desejam participar da equipe do GRAD, é necessário que o currículo seja enviado pelo Instagram (@grad_brasil) para passarem pelo processo seletivo e criterioso. Assim que os escolhidos forem selecionados, os mesmos serão encaminhados para um treinamento intensivo de três dias com situações bem concretas e recorrentes

Fonte: AgroPlus

publicidade

Agro News

Rendimentos de trigo produzidos na Ucrânia podem ser reduzidos, enquanto os de milho podem aumentar

Publicado

A unidade de pesquisa agrícola SovEcon da Rússia reduziu seu rendimento de grãos ucraniano em 2022 em 1,4 milhão de toneladas, para 20,7 milhões de toneladas. Na temporada de 2021, o valor total registrado foi de 32,2 milhões de toneladas.

Em termos de safra de milho do país, a consultoria aumentou sua previsão em 1,1 milhão de toneladas, para 28,1 milhões de toneladas ante 42,1 milhões de toneladas até 2021.

De acordo com Andrey Sizov, analista do mercado de trigo da região do Mar Negro e diretor da SovEcon, em um relatório enviado aos clientes, os rendimentos do trigo são baixos nas áreas devastadas pela guerra. Soma-se a isso o baixo rendimento de grãos devido à falta de chuvas. “Grande parte das áreas semeadas recebeu apenas 60% e 80% da precipitação normal durante os últimos meses”, disse.

Odessa, uma cidade costeira da Ucrânia na costa do Mar Negro, recebeu menos de 50% das chuvas. “A produtividade atual de cevada de inverno na região, com queda de 50% em relação à temporada anterior, indica que a produção de trigo também provavelmente será baixa”, disse ele.

Leia mais:  Norte Show deve superar R$ 1 bilhão em negociações

Por outro lado, a produtividade média do milho aumentou para 6,10 toneladas/hectare de 5,86 toneladas/hectare, e a disponibilidade de insumos agrícolas superou as expectativas.

As condições climáticas são um tanto quanto desfavoráveis devido a ausência de chuvas, lembrou Sizov.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) estima que a safra de trigo da Ucrânia seja de 21,5 milhões de toneladas e a de milho seja de 25,0 milhões de toneladas.

Fonte: Agroplus.tv

Fonte: AgroPlus

Continue lendo

Mais Lidas da Semana