conecte-se conosco

Saúde

Covid-19: a americana de 22 anos que ganhou US$ 1 milhão por tomar vacina

Publicado


source

BBC News Brasil

Covid-19: a americana de 22 anos que ganhou US$ 1 milhão por tomar vacina
Reprodução: BBC News Brasil

Covid-19: a americana de 22 anos que ganhou US$ 1 milhão por tomar vacina

Para muita gente em um mundo com escassez de vacinas contra a covid-19, receber uma é ganhar na loteria.

Para a americana Abbigail Bugenske, 22 anos, o prêmio foi literal.

Apenas por haver tomado a vacina, Bugenske recebeu US$ 1 milhão (R$ 5,2 milhões). Ela foi sorteada nesta quarta (26/05) em uma ” loteria de vacinas ” do Estado de Ohio , nos Estados Unidos.

O programa, batizado de Vax-a-Million, foi criado para atrair mais interesse para a campanha de vacinação no Estado. Programas de incentivo à vacina nos Estados Unidos têm pipocado em diferentes cidades e Estados pelo país.

Todos os americanos adultos já podem se vacinar. Ou seja, por lá não faltam vacinas – diferente do que se vê em países como o Brasil, onde a falta de doses já fez atrasar a vacinação de milhares de brasileiros.

Apesar disso, o ritmo de vacinação nos Estados Unidos tem caído. Metade da população americana recebeu ao menos uma dose, mas a média de doses administradas por dia caiu consideravelmente no último mês.

A queda é preocupante em um país que já caminha para uma reabertura. E é aí que entram os programas de incentivo à imunização.

Bugenske, a nova milionária, não foi exatamente o público-alvo da campanha do governo de Ohio. Ao jornal americano The New York Times, ela disse ter tomado a vacina assim que chegou sua vez, antes da loteria ser anunciada. Depois, se inscreveu no sorteio. E se esqueceu completamente daquilo, até receber a ligação de que havia sido sorteada.

Leia mais:  São Paulo inicia vacinação contra a covid-19 de pessoas com 37 anos

Bugenske é estudante de pós-graduação em engenharia aeroespacial na Ohio State University. Ela disse ao jornal The Washington Post que não tem planos de deixar o emprego. Quer doar parte de seu prêmio para a caridade e investir o restante.

“Eu incentivaria todos a tomarem a vacina”, disse ela ao New York Times. “Se ganhar um milhão de dólares não é incentivo suficiente, eu realmente não sei o que seria.”

São os outros 50% que ainda não tomaram nem uma dose da vacina que governos locais querem convencer que vale a pena sair de casa para receber uma injeção no braço. Se não pela imunidade conferida contra a covid-19, doença que já matou 3,5 milhões de pessoas no mundo e quase 600 mil nos EUA, pela conta bancária que pode engordar com alguns milhares de dólares.

Você viu?

“Minha esposa e eu visitamos mais de 40 centros de vacinação em todo o Estado, conversando com os habitantes de Ohio sobre o que os persuadiu a tomar a vacina. Muitos mal podiam esperar para serem vacinados. Outros se oponham tanto que não tínhamos esperança de convencê-los”, escreveu o governador de Ohio, o republicano Mike DeWine, em um artigo para o New York Times.

Stefanie Dunahay, 39, e Matt Dunahay, 39, aguardam para receber a vacina contra o coronavírus no Centro Comunitário de Bradfield em Ohio, EUA, 29 de março de 2021

REUTERS/Megan Jelinger
Stefanie Dunahay, 39, e Matt Dunahay, 39, aguardam para receber a vacina contra o coronavírus no Centro Comunitário de Bradfield em Ohio em março de 2021

“Havia um terceiro grupo que não tinha sentimentos fortes sobre a vacina. Muitas pessoas simplesmente não estavam com pressa. Este foi o grupo com que eu sabia que tínhamos uma oportunidade.”

Segundo ele, desde o anúncio da loteria – com mais quatro ganhadores nas próximas quatro semanas -, a taxa de imunização aumentou 49% entre as pessoas com mais de 16 anos em Ohio, 36% entre minorias e 65% em pessoas morando em áreas rurais. O governador diz também que foi procurado por outros gestores estaduais para compartilhar detalhes sobre seu projeto.

Leia mais:  Queiroga fala sobre antecipação de vacinas e campanha de imunização

A lista de iniciativas parecidas nos EUA é grande: que tal uma vacina no metrô em Nova York e, de quebra, ingressos gratuitos para atrações turísticas na cidade ou passagem livre no metrô durante uma semana?

O governador da Califórnia anunciou que o Estado distribuirá cartões pré-pagos com US$ 20 (R$ 105) e outros prêmios para as próximas 2 milhões de pessoas que se vacinarem. Trinta ganhadores receberão US$ 50 mil (R$ 261 mil) e dez pessoas extremamente sortudas vão ganhar não só anticorpos como também US$ 1,5 milhão (R$ 7,8 milhões).

Em Estados como Colorado, Maryland e Oregon há iniciativas semelhantes. Há cidades distribuindo cerveja de graça. E no Estado de Nova Jersey o prêmio é… um jantar com o governador. O prêmio para se vacinar nos EUA virou moda.

Não sem críticas: a imprensa americana vem registrando comentários de políticos e autoridades de saúde desaprovando a alocação de recursos. A loteria de Ohio, por exemplo, está sendo financiada com aporte do governo federal para combate ao coronavírus, algo que não foi 100% bem visto.

Também não se sabe o quão eficaz é a medida. US$ 1 milhão é capaz de fazer as pessoas mudarem de opinião sobre a vacina? Há quem diga que haverá mais desconfiança justamente por causa de um pagamento exagerado para algo que deveria ser tomado sem recompensas – ou com apenas a simples gratificação de proteger o vacinado de uma doença perigosa e contribuir para uma proteção coletiva.


Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube ? Inscreva-se no nosso canal!

Fonte: IG SAÚDE

publicidade

Saúde

Covid-19: Brasil tem 19,6 milhões de casos e 549,4 mil mortes

Publicado


O Brasil registrou em 24 horas 38.091 novos casos de covid-19. O acumulado de casos registrados no país desde o início da pandemia é de 19.670.534. Segundo balanço divulgado neste sábado (24) pelo Ministério da Saúde, com base em informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde e do Distrito Federal, no momento, há 780.326 casos em acompanhamento. Nessa situação, casos suspeitos, que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves, são observados por equipes de saúde.

Já o número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 549.448. Em 24 horas, foram registradas 1.108 mortes. Há ainda 3.428 óbitos em investigação no país. 

Há, ao todo, 780.326 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 18.340.760 pacientes já se recuperaram.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (137.211), seguido do Rio de Janeiro (58.361), Minas Gerais (49.675), Paraná (34.264) e Rio Grande do Sul (33.039). Entre os estados com menos registros de óbitos estão Acre (1.796), Roraima (1.828), Amapá (1.891), Tocantins (3.459) e Alagoas (5.724).

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil.

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. – Ministério da Saúde
Leia mais:  Coronavírus: o que pode explicar ‘segunda onda’ menos mortal de Covid-19

Vacinação

Até hoje, foram aplicadas mais de 131 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, 94,6 milhões de pessoas receberam a 1ª dose e 37,1 milhões, a 2ª dose ou dose única.

Até o início da noite deste sábado, começaram a ser distribuídas 164,4 milhões de doses, tendo sido entregues 154,7 milhões de doses. Um total de 9,7 milhões de doses estão em processo de distribuição.

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Mais Lidas da Semana