conecte-se conosco

Política MT

Deputados visitam obras do CDP de Peixoto de Azevedo

Publicado


Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Foto: SAMANTHA DOS ANJOS FARIAS

Após anos de espera para a concretização das obras do Centro de Detenção Provisória (CDP), em Peixoto de Azevedo (MT), o diretor e policial penal Manoy da Silva Rodrigues, da Cadeia Pública do município, informou aos deputados estaduais Delegado Claudinei (PSL) e Pedro Satélite (PSD) que, em dezembro deste ano, está prevista a conclusão da construção. A capacidade máxima da nova unidade prisional será de 256 recuperandos. 

Os parlamentares, em atendimento à Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), realizaram o levantamento de informações sobre a instituição e também conheceram as estruturas físicas das unidades do sistema penitenciário. 

Efetivo A retomada e conclusão das obras contou com recursos oriundos do governo federal e do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), segundo Manoy, que considera que haverá a necessidade de aumento de efetivo com o novo complexo, já que a estrutura é bem maior do que a da Cadeia Pública do município.  

Leia mais:  Deputados aprovam PEC que garante reeleição no TCE e votam vetos

“Nosso efetivo para atender a Cadeia Pública está excelente. Tanto que damos apoio para a unidade de Alta Floresta. Temos dois servidores que estão em Cuiabá na PCE (Penitenciária Central do Estado). Conseguimos atender as demandas com tranquilidade. Aqui, atendemos quatro comarcas de seis municípios”, explica o diretor. 

Essa unidade recebe detentos de Peixoto de Azevedo sem restrição de vagas. Já outros municípios têm limitação, sendo 35 disponíveis para Guarantã do Norte, 22 para Matupá e a mesma quantia para Terra Nova. “Não tem como atender mais, pois não temos estrutura. A ideia do CDP é isso, tirar os detentos que estão em Sinop, para ficarem próximos da família”, salienta Rodrigues.

Manoy descreve que o complexo penitenciário contará com dois prédios, que terão espaços para alojamentos, área administrativa, salas de revista, parlatório, setor de saúde, área de serviços, espaços para os projetos de ressocialização, entre outros. 

Projetos – Nos projetos de ressocialização, Manoy apresentou aos deputados a oficina de corte e costura, que conta com 12 máquinas de costura industrial. Ele apontou que a unidade é referência no quesito educacional, já que 45% da população carcerária estão em sala de aula. Outras atividades realizadas com a mão de obra dos detentos estão relacionadas à construção civil. Também há uma parceria com a prefeitura municipal, que aproveita os trabalhos dos recuperandos. 

Leia mais:  Presidente da comissão de educação da AL diz que não há condições sanitárias para o retorno às aulas em MT

“Realmente é uma estrutura interessante. Mesmo que este projeto construtivo tenha demorado a ser finalizado, agora será possível ser usufruído. Foi muito bom conhecer os projetos desenvolvidos com os recuperandos e ver que é uma unidade que está com a execução dos trabalhos da forma que deve ser. Não apontaram dificuldades. Mas, vamos acompanhar, já que com o CDP vai ter a necessidade de aumento de efetivo”, posiciona Claudinei.

Comissão – Além de Claudinei, também integram a Comissão de Segurança Pública: o vice-presidente Sílvio Fávero (PSL), os membros titulares Thiago Silva (MDB), Elizeu Nascimento (DC) e Ulysses Moraes (PSL).

Fonte: ALMT

publicidade

Política MT

Secretário presta conta sobre convênios com prefeituras

Publicado


Foto: Marcos Lopes

O secretário de estado de Educação, Alan Porto, atendeu convocação da Comissão de Infraestrutura da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) para prestar esclarecimentos sobre convênios com municípios para obras estruturais. Ele aproveitou a ocasião, na tarde desta terça-feira (22), para reafirmar o reinício presencial das aulas na rede estadual para agosto, em sistema híbrido. 

O secretário explanou sobre as parcerias com mais de 50 prefeituras – recursos que totalizam quase R$ 80 milhões para construção de dez escolas, 26 quadras poliesportivas, além de diversas obras de reforma e ampliação em prédios que atendem os estudantes mato-grossenses. Destacou investimentos em tecnologia e conforto, como  a instalação de internet de alta velocidade em salas de aulas e a climatização progressiva dos ambientes de ensino. 

CRITICA  

A explanação palaciana foi quebrada após as palavras do secretário pelo deputado Ondanir Bortolini “Nininho” (PSD).  Nininho criticou diretamente a categoria dos profissionais da educação com argumentação lógica e objetiva: ao tempo em que o governo mato-grossense pagava o segundo melhor salário aos professores em comparação às demais unidades da federação, os estudantes mato-grossenses conseguiram apenas a 22º colocação na avaliação nacional – entre os piores desempenhos entre os estados brasileiros. 

Leia mais:  Audiência pública discute resultados do Relatório Anual de Gestão (RAG) referente a 2020

Também estiveram presentes, sob a presidência do deputado Valmir Moreto, os pares Delegado Claudiney e Gilberto Cattani, além do vice-governador Otaviano Pivetta.  

Fonte: ALMT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana