conecte-se conosco

Policial

Gap e Força Tática prendem quadrilha e apreendem 160 quilos de maconha

Publicado


Na manhã desta  terça-feira (23.02) policiais do Gap (Grupo de Apoio)  do 24 º Batalhão e Força Tática prenderam cinco pessoas por tráfico de drogas, em Cuiabá. Na ação da Polícia Militar, os policiais apreenderam 160 quilos de maconha. Quatro homens (27,26, 22 e 20 anos)  e uma mulher (26) foram presos em flagrante. O entorpecente seria comercializado no bairro Pedra 90. 

Por volta das 07h, a equipe do Gap recebeu uma denúncia de que havia uma casa com droga, e que inclusive, o forte odor do entorpecente estaria exalando no bairro Praeirinho. O denunciante relatou ainda, que a droga estaria na casa de uma mulher, e que  ela mais alguns indivíduos iriam transportar o entorpecente em uma caminhonete S10, pois a droga seria comercializada no bairro Pedra 90.

Os policiais foram checar a denúncia, na Rua Maria da Conceição, e avistaram um dos suspeitos em frente a residência. Equipes da Força Tática tentaram abordar o homem, mas ele dispensou algo no chão, tentou fugir. 

Leia mais:  PM e Sema identificam pescado irregular e apetrechos de pesca predatória em Alto Paraguai

Os policiais  ordenaram ao suspeito que ele parasse,mas  o homem desobedeceu a ordem, vindo a pular o muro de algumas casas do bairro. O suspeito foi capturado e tentou agredir um dos policiais da equipe, mas foi imobilizado com algemas.  Na ação, a PM apreendeu um tablete de maconha.

Ainda em diligências, policiais do  Gap adentraram na residência  e localizaram  mais dois suspeitos. Durante buscas no imóvel, a polícia apreendeu 16 tabletes inteiros e metade de três tabletes de maconha. 

Na casa denunciada, que pertencia a uma mulher, a PM apreendeu mais 90 tabletes de maconha, a substância estava potencializada, para ser comercializada como “ super maconha ou skank ” e outras porções de entorpecentes encontrados em um quarto da casa. 

A suspeita foi presa e confessou que estaria guardando a droga na casa de sua avó para o marido que acabou preso pela PM na mesma ação policial. Os policiais seguiram até a casa do suspeito apontado pela mulher, e prenderam mais um suspeito, que seria um dos indivíduos, denunciado pela comercialização no bairro Pedra 90. Na diligência, a PM apreendeu meio tablete de entorpecente debaixo da cama do homem e o veículo S10. 

Leia mais:  PRF participa de oficinas de cinotecnia, em Rondonópolis/MT

A droga foi apreendida e os suspeitos conduzidos à delegacia. A ocorrência foi entregue à Polícia Judiciária Civil. 

Serviço

A sociedade pode contribuir com as ações da Polícia Militar de qualquer cidade do Estado pelo 190 ou, sem precisar se identificar, por meio do disque – denúncia 0800.65.39.39. Nesse número, sem custo de ligação, qualquer cidadão pode informar situações suspeitas ou crimes. 

Fonte: PM MT

publicidade

Policial

Operação de combate à receptação de celulares prende 14 pessoas com aparelhos de origem ilícita

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Quatorze pessoas foram presas em flagrante durante operação da Polícia Civil deflagrada na sexta-feira (26.02) pela Delegacia Especializada de Roubos e Furtos de Várzea Grande (Derf-VG),com objetivo de combater o crime de receptação de aparelhos celulares de origem ilícita,

A operação “Receptador” foi finalizada nesta segunda-feira (01.03), com o cumprimento a 14 mandados de busca e apreensão domiciliar que resultaram na recuperação de 14 aparelhos celulares de diferentes marcas e modelos, todos de origem ilícita.

As ordens judiciais foram decretadas com base em investigações da Derf-VG que conseguiram identificar pessoas envolvidas com a receptação de celulares produtos de roubo/furto cometidos entre os meses de novembro de 2020 e janeiro de 2021.

Segundo a delegada titular da Derf-VG, Elaine Fernandes da Silva, o trabalho operacional mostra a intensificação das diligências investigativas para combater o crime de receptação, responsável por fomentar os índices de roubo e furtos ocorridos na região metropolitana.

“O receptador é um criminoso covarde que financia a violência e por isso precisa ser fortemente combatido. O foco da operação é tentar minimizar o prejuízo das vítimas, que geralmente são abordadas a caminho do trabalho e tem o seu bem subtraído. Em muitos casos as vítimas ainda estão pagando as parcelas do aparelho que não poderão utilizar, ficando somente com o prejuízo”, disse.

Leia mais:  PM e Sema identificam pescado irregular e apetrechos de pesca predatória em Alto Paraguai

Crime e pena

O crime de receptação está previsto no artigo 180 do Código Penal Brasileiro (adquirir, receber, transportar, conduzir ou ocultar, em proveito próprio ou alheio, coisa que sabe ser produto de crime, ou influir para que terceiro, de boa-fé, a adquira, receba ou oculte. Pena de reclusão de 1 a 4 anos, e multa).

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana