conecte-se conosco

Policial

Investigador de MT é o primeiro a se formar instrutor de armamento e tiro pela Academia Nacional de Polícia

Publicado


Assessoria | Polícia Civil-MT

Um investigador da Polícia Civil de Mato Grosso é o primeiro profissional de segurança pública do Estado a se formar como professor no curso de Armamento e Tiro da Polícia Federal, promovido pela Academia Nacional de Polícia em Brasília (ANP).

Vinícius Alves Câmara está lotado na Delegacia Especializada de Defesa da Mulher de Rondonópolis (212 km ao sul de Cuiabá) e é formado em Operações Táticas Especiais, Operador do Grupo Armado de Resposta Rápida (Garra), Car System, entre outras capacitações.

A ida do servidor para o curso e intercâmbio na ANP faz parte do planejamento da Diretoria Geral instituição, com intuito de formar policiais para atualização em técnicas de tiro e manuseio de armas em Mato Grosso, em razão da mudança da plataforma de armas curtas da Polícia Civil, com a aquisição das pistolas Glock G19 geração 5.

Para ingressar no curso na Academia Nacional de Polícia, ele participou de um processo seletivo que contou com mais de 350 policiais de diversas forças de segurança do País, como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, Agência Brasileira de Inteligência, Polícia Civil e Polícia Militar, sendo que somente 87 policiais foram aprovados.

Leia mais:  PM liberta casal sequestrado e prende criminosos em São José dos Quatro Marcos

Qualificação

O curso de tiro teve a duração de três semanas, sendo realizado o pré-teste, onde os candidatos foram submetidos à realização de tiro, montagem e desmontagem de armas da Polícia Federal (pistola Glock G17, submetralhadora HK MP5, Fuzil HK G36 e espingarda Benelli M3), nomenclatura de peças, manejo (inspeção, municiamento e desmuniciamento) de acordo com as notas técnicas, teste físico, prova teórica e entrevista.

O curso ocorreu de 28 de junho a 16 de julho, com 150 horas-aula. Foram abordadas diversas disciplinas dirigidas a professores de armamento e tiro, como didática: funcionamento das armas; legislação; fundamentos de tiro e regras de segurança; posições de tiro; pronto-socorro em atividade policial; ópticos e optrônicos; autodefesa; postura e condutas de professor; saque com uso velado de arma; características do treinamento de tiro; tiro em baixa luminosidade; tiro de precisão e balística; manutenção de armas de fogo; recarga de munições; resolução de panes no armamento; balístico terminal; simulador noturno; transição de armas e tiro esportivo.

Entusiasmado pela oportunidade de aprendizado e experiência, o investigador agradeceu a Polícia Civil de Mato Grosso pela oportunidade em participar do 21º CFPAT – ANP. “O empenho da atual gestão demonstra seu compromisso com a segurança pública no sentido de buscar não só o melhor armamento para a Polícia Civil, mas também o melhor conhecimento para seus policiais. Essa capacitação proporcionará um nivelamento de técnicas e procedimentos aos policiais de Mato Grosso. Também agradeço aos colegas da Polícia Federal de Rondonópolis que muito ajudaram durante os treinamentos ao longo deste ano e, sem essa parceira, jamais conseguiria alcançar o objetivo de ser um camisa vermelha”, disse o investigador Vinícius Câmara.

Leia mais:  Autor de furto qualificado em residência é preso pela Polícia Civil em Várzea Grande

A Academia Nacional de Polícia (ANP), coordenada pela Polícia Federal, é referência na América Latina no quesito Armamento e Tiro, em padronização de procedimentos e das técnicas aplicadas desde a formação do policial federal até o treinamento continuado, que ocorre várias vezes ao ano, e que são levados aos profissionais pelos professores do Serviço de Armamento e Tiro.

Fonte: PJC MT

publicidade

Policial

Polícia Civil conduz negociação e libera crianças mantidas em cárcere privado pelo próprio pai

Publicado


Raquel Teixeira/Polícia Civil-MT

A Polícia Civil em Alta Floresta ((803 km ao norte de Cuiabá) conduziu as negociações de uma ocorrência de cárcere privado e violência doméstica e libertou quatro vítimas que eram mantidas reféns por um homem de 39 anos, durante esta sexta-feira (24.09). Duas vítimas, de 4 a 12 anos, são filhos do suspeito e uma delas ficou por horas sob a mira de uma arma de fogo. Ele também atirou contra o rosto da ex-mulher, que está hospitalizada.

Na manhã desta sexta-feira (24.09), por volta de 9h30, a Divisão de Investigação de Violência Doméstica e Abusos Sexuais da Delegacia de Alta Floresta foi acionada para atender uma ocorrência sobre descumprimento de medidas protetivas envolvendo supostamente uma adolescente de 15 anos e tendo como suspeito seu pai.

Ao chegar à residência, localizada no bairro Jardim Imperial, os investigadores foram surpreendidos com gritos e três disparos de arma de fogo vindos do interior da residência. Os policiais avistaram o suspeito agredindo a ex-esposa, de 39 anos.

Leia mais:  PM liberta casal sequestrado e prende criminosos em São José dos Quatro Marcos

Para impedir a continuidade da agressão, os policiais fizeram dois disparos, o que fez com que o homem se desvencilhasse da vítima. Ela conseguiu sair do interior da casa junto com uma criança, que é seu sobrinho, e foi socorrida pela equipe policial. A mulher foi encaminhada imediatamente ao Hospital Regional de Alta Floresta, atingida gravemente com um disparo no rosto.

O suspeito permaneceu dentro da casa e tomou como reféns seus dois filhos menores, de 4 e 12 anos, os trancou na residência e fechou o portão eletrônico. A partir deste momento, os investigadores isolaram o perímetro e solicitaram reforços de equipes da Polícia Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros.

Negociação e rendição

O delegado Vinícius Nazário e o investigador Márcio iniciaram as negociações, acompanhado dos demais policiais civis e militares. Durante quase seis horas, os profissionais mantiveram diálogo com o suspeito, a fim de resguardar a integridade das crianças. Por volta do meio dia, o homem liberou o filho mais novo e manteve o de 12 anos como refém.

Por várias vezes, os policiais avistaram o suspeito apontar uma pistola calibre 765 para a própria cabeça e também à cabeça do próprio filho, demonstrando que sua intenção seria matar a criança para se vingar da ex-esposa e depois cometer suicídio.

Leia mais:  Autor de furto qualificado em residência é preso pela Polícia Civil em Várzea Grande

Após o período de negociação e aproveitando o momento em que o suspeito foi ao banheiro, os policiais planejaram uma entrada tática na residência. Enquanto o delegado mantinha conversa com o suspeito, policiais militares e civis se posicionaram para entrar no imóvel. No instante em que a criança ficou distante do pai, rapidamente as equipes conseguiram retirar o menino e manter o suspeito confinado no banheiro.

Novamente, após negociação, ele entregou a arma de fogo ao delegado e abriu a porta do banheiro para que os militares efetuassem a prisão e o conduzissem à delegacia. 

O suspeito foi autuado em flagrante pela Polícia Civil pelos crimes de tentativa de feminicídio, porte ilegal de arma de fogo, cárcere privado e descumprimento de medidas protetivas.

Fonte: PJC MT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana