conecte-se conosco

Carros

Julho tem a maior produção desde novembro de 2020, segundo Anfavea

Publicado


No acumulado do ano, produção de 2022 está com alta de 3,7%, mas as vendas seguem com baixa de 12%
Divulgação

No acumulado do ano, produção de 2022 está com alta de 3,7%, mas as vendas seguem com baixa de 12%

Apesar da crise de abastecimentos de insumos na indústria automotiva mundial, principalmente o de semicondutores, tendo como conseqüência a paralisação momentânea de quatro fábricas ao logo do mês, julho foi o mês que teve o nível mais alto de produção desde novembro de 2020.

De acordo com a Anfavea, foram produzidas 218.950 unidades, alta de 7,5% sobre junho e de 33,4% sobre julho de 2021, quando a crise global dos semicondutores surpreendia a indústria em geral. No acumulado do ano, as 1,3 milhão de unidades produzidas já estão no mesmo patamar dos sete primeiros meses do ano passado.

“Havia, e ainda há, muitos veículos incompletos nos pátios das montadoras, apenas à espera de determinados itens eletrônicos. Eles só entram na estatística de produção quando são todo finalizados, o que vem ocorrendo com mais frequência, e isso explica essa melhora no fluxo de produção nos últimos três meses”, explicou o Presidente da Anfavea, Márcio de Lima Leite.

Leia mais:  Nova scooter ADV160 da Honda é revelada na Indonésia

Ainda de acordo com o executivo da entidade, há ainda restrições de insumos e logística , como mostram estas paralisações, mas a boa notícia é que em vista do ano passado, neste ano há maior recebimento de semicondutores e do que no primeiro trimestre deste ano.

Quanto às vendas, julho teve 181.994 unidades (+ 2,2% sobre o mês anterior e de +3,7% sobre julho de 2021), segundo melhor mês do ano, atrás só de maio. Mas, por dia útil, o mês teve a maior média de 2022 (8,7 mil licenciamentos diários, ante 8,5 mil de maio e junho). No acumulado, a defasagem ainda é de 12%, com 1,1 milhão de emplacamentos.

Na exportação, por sua vez, foram contabilizadas 41,9 mil autoveículos , 11,4% a menos que em julho e 76,3% a mais que em julho de 2021. No total do ano, o volume de 288 mil unidades supera em 28,7% o resultado de igual período do ano passado.

Após três meses seguidos de alta, julho teve um pequeno recuo, mas, ainda assim, está num bom patamar quando se fala em exportação e, sendo assim, merece atenção, devido à crise financeira na Argentina, cujo governo vem limitando a saída de dólares do país: a Argentina responde por 30% dos embarques de veículos nacionais.

Leia mais:  Seria o JAC E-JS1 EXT o novo carro elétrico aventureiro popular?

A boa notícia é que no início deste mês de agosto, passou a vigorar a nova etapa de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para a categoria de automóveis de passageiros cuja redução de 18,5% foi para 24,75% sobre as alíquotas praticadas antes da primeira redução, do dia 1º de março.

“Agosto é um mês importante com a inclusão dos automóveis de passageiros na nova etapa do IPI , que passou a vigorar desde o início deste mês. Foi uma decisão sensata do governo federal, em especial do Ministério da Economia”, declarou Márcio de Lima Leite.

Fonte: IG CARROS

publicidade

Carros

Nico Rosberg recebe seu carro elétrico de quase 2000 cv

Publicado

Rosberg ao lado do seu Rimac Nevera, capaz  de acelerar de 0 a 100 km/h em 2 s e atingir 412 km/h
Reprodução/Instagram

Rosberg ao lado do seu Rimac Nevera, capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 2 s e atingir 412 km/h

Após sair da Fórmula 1 com o título da temporada 2016, Nico Rosberg se tornou defensor da mobilidade elétrica e investidor no setor, principalmente em competições.

Agora, o ex-campeão de F1 foi até a Croácia onde pôde receber o primeiro Rimac Nevera já produzido, e aproveitou para fazer um test-drive ao lado do fundador da fabricante, Mate Rimac.

O Nevera terá a produção limitada a 150 unidades, e com o preço na casa dos US$ 2.5 milhões (US$ 12,8 milhões), o de Rosberg conta com a assinatura do ex-piloto.

O novo hipercarro de Rosberg é equipado com um pacote de baterias de 120 kWh que entrega energia para quatro motores elétricos, posicionados em cada roda.

Leia mais:  Ford vai expandir seu Centro de Desenvolvimento e Tecnologia na Bahia

Somados, os motores entregam 1913 cv de potência e 240,65 kgfm de torque entregues de forma instantânea. O hipercarro croata é capaz atingir os 100 km/h em cerca de 2 segundos e a velocidade máxima é de 412 km/h.

O primeiro contato de Rosberg com sua nova aquisição foi com Mate Rimac no banco do passageiro, e não exploraram apenas a aceleração do modelo, e foram até estradas sinuosas da Croácia testar as capacidades de direção do carro.

Embora seja um carro pesado, de 2.150 kg, o Nevera impressiona Rosberg com o alto nível de aderência que o modelo apresenta ao fazer curvas.

O ex-campeão ainda aproveitou para brincar com o fundador da empresa, ao acionar o querer fazer drift em uma curva, e o executivo respondeu de forma assustada: “Claro, contanto que eu não esteja no carro. Você tem que se acostumar primeiro”.

Rosberg filmou seu contato com seu novo carro e o vídeo está disponível em inglês no canal do ex-piloto alemão no Youtube.

Leia mais:  Nova scooter ADV160 da Honda é revelada na Indonésia

Durante o vídeo, Rimac explica um artifício interessante do sistema de freio do Nevera. Quando o modelo é conduzido no “Modo Pista”, os sistemas do carro monitoram a temperatura dos freios regenerativos e dos freios mecânicos.

Dependendo da temperatura das baterias, o nível de regeneração é ajustado para priorizar o freio mecânico, ou caso os discos e pastilhas de freio esquentem, o freio regenerativo será usado com maior frequência.

Fonte: IG CARROS

Continue lendo

Mais Lidas da Semana