conecte-se conosco

Política Nacional

Lula venceria Bolsonaro no segundo turno por 52% a 34%, diz pesquisa

Publicado


source
Lula voltou ao páreo e já lidera pesquisas de intenção de votos; Bolsonaro está em baixa
Ricardo Stuckert e Palácio do Planalto

Lula voltou ao páreo e já lidera pesquisas de intenção de votos; Bolsonaro está em baixa

O ex-presidente Lula segue crescendo nas pesquisas para as eleições de 2022. Segundo levantamento PoderData , do Poder 360 , o petista teria 18 pontos de vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (sem partido): 52% a 34% . Ainda de acordo com a pesquisa, se o segundo turno fosse hoje, o atual presidente perderia também de Luciano Huck (48% a 35%).

A pesquisa também analisou outros três possíveis cenários de segundo turno: Bolsonaro x Ciro Gomes aparecem numericamente empatados, ambos com 38%; Em simulações com Doria ou Moro , Bolsonaro aparece 1 ponto percentual à frente. (38% a 37% em ambas).

O levantamento entrevistou 3.500 pessoas em 512 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual. 

1º turno

Analisando o primeiro turno, a pesquisa mostra Lula em primeiro, com 34% seguido de Bolsonaro, 31%. Em terceiro lugar, aparecem Ciro Gomes (PDT) e Luciano Huck empatados com 6%.

Amoedo (Novo) aparece com 5%; Doria (PSDB), 4%; Moro, 3% e Mandetta, 2%. Haddad (PT), Boulos (PSOL) e Flávio Dino (PCdoB) não pontuaram.

publicidade

Política Nacional

Na gestão Bolsonaro, orçamento ‘paralelo’ é maior que nos governos Temer e Dilma

Publicado


source
Emendas de congressistas dão salta na gestão Bolsonaro
Matheus Barros

Emendas de congressistas dão salta na gestão Bolsonaro

A média do orçamento de emendas anuais de relator aprovadas pelo Congresso teve um aumento considerável na gestão de Jair Bolsonaro (sem partido). O salto é quatro vezes maior que no governo de Michel Temer e cinco vezes maior que durante o mandato de Dilma Rousseff (PT). As informações foram levantadas pelo portal UOL .

O episódio conhecido como “Orçamento Paralelo” se trata de trocas orçamentárias entre parlamentares e ministérios, que não constam nos portais de transparência do governo. Além disso, foi apelidado de “tratoraço”, já que houve compra excessiva de máquinas agrícolas. 

Em resposta ao UOL , um levantamento da Consultoria de Orçamento da Câmara mostra que os congressistas propuseram R$ 20,7 bilhões em emendas na atual gestão. As cifras são menores nos governos Temer (R$ 4,8 bilhões) e Dilma (R$ 3,8 bilhões), em média, por ano. 

Leia mais:  MP denuncia Paulinho da Força por receber R$ 1,7 milhão em propina da J&F


Continue lendo

Mais Lidas da Semana