conecte-se conosco

Nacional

Mulher é morta por ex-marido em estacionamento de mercado em São Paulo

Publicado


source
Edgar Napolitano, acusado de matar a ex-mulher em São Paulo
Reprodução

Edgar Napolitano, acusado de matar a ex-mulher em São Paulo

SÃO PAULO — Uma mulher de 33 anos foi baleada e morta pelo ex-marido nesta quinta-feira no estacionamento de um mercado na Zona Leste de São Paulo. O caso é o segundo feminicídio registrado na cidade em uma semana. Na terça-feira, uma jovem de 16 anos morreu ao ser baleada pelo ex-namorado na Zona Oeste.

Paloma Oliveira, 33, recepcionista em uma seguradora, foi sequestrada e morta na noite de quinta-feira pelo ex-marido, Edgar Napolitano, 37 anos. A filha mais velha do casal, de 18 anos, relatou à polícia que o homem chegou à casa da ex-mulher, onde familiares e amigos reuniam-se, ‘’bastante alterado’’ e armado, segundo informações da Secretaria de Segurança Pública (SSP). Ele sequestrou Oliveira e, com um carro, levou-a à força ao estacionamento de um mercado na Avenida Aricanduva.

Após discussão, câmeras do local captaram o momento em que Napolitano atirou duas vezes na ex-mulher, por volta das 21h. A vítima tentou fugir enquanto era alvejada. Em seguida, Napolitano fugiu no mesmo carro em que efetuou o sequestro, segundo a investigação.

Leia mais:  Cidade do Rio de Janeiro proíbe eventos de blocos e escolas de samba no carnaval

A Polícia Militar foi acionada, mas a vítima morreu no local. Napolitano está foragido, e a polícia busca informações sobre seu paradeiro. Ele teria abandonado o carro em que fugiu, e a arma do crime ainda não foi encontrada.

Familiares da vítima informaram à polícia que o assassino enviou a eles uma imagem de Oliveira baleada. A imagem foi encaminhada à perícia junto com o celular da vítima, no qual estariam registradas as ameaças de Napolitano contra a ex-mulher.

O mecânico teria cometido o assassinato em represália à separação do casal, ocorrida há cerca de um mês. Antes, o homem já havia sido preso por dois meses por agredir a ex-companheira. A vítima possuía uma medida protetiva contra o agressor.

Você viu?

Além da jovem de 18 anos, Paloma Oliveira deixou dois filhos, de 7 e 11 anos. O caso é investigado pelo 30º Distrito Policial como feminicídio, violência doméstica, cárcere privado, sequestro e ameaça. Em nota, a SSP informou que segue a investigação em busca da localização e prisão do autor do homicídio.

Segundo caso na semana

Na terça-feira (15), a adolescente Thalya Hellen, de 16 anos, foi morta pelo ex-namorado Thayan Alves Yorinobu, 23 anos. O crime aconteceu na casa de Thayan, na Lapa, Zona Oeste.

Leia mais:  Candidata a vereadora em SC é presa em flagrante por tráfico de drogas

Após balear a ex-namorada, Alves tentou cometer suicídio, mas foi socorrido com vida e atendido no Hospital de Clínicas. Ele estaria inconformado com o final do namoro turbulento de cerca de um ano com a jovem e buscava retomar o relacionamento.

Em nota, a SSP informou que Yorinobu foi preso em flagrante e está internado sob custódia. Ele teve também a prisão preventiva decretada pela Justiça. O caso é investigado pelo 4ª Delegacia de Defesa da Mulher, na Freguesia do Ó, como feminicídio, violência doméstica, tentativa de suicídio e porte ilegal de arma.

*Estagiária sob supervisão de Mauricio Xavier

publicidade

Nacional

Empresários dizem que vídeos de incêndio no Cerrado estão “espantando turistas”

Publicado


source
Mensagem enviada por comerciante a página que apoia preservação da Chapada dos Veadeiros
Reprodução

Mensagem enviada por comerciante a página que apoia preservação da Chapada dos Veadeiros

Enquanto bombeiros, brigadistas e voluntários seguem há dez dias combatendo  focos de incêndio na área da Chapada dos Veadeiros , em Goiás, um grupo de empresários locais tem tentado convencer páginas dedicadas à preservação do Cerrado brasileiro de que é melhor não divulgar informações sobre as queimadas que têm acontecido, sob o argumento de que isso “tem espantado os turistas”. Nesta terça-feira (21) — Dia da Árvore —, um desses perfis compartilhou algumas dessas mensagens enviadas.

“Parem de publicar esses vídeos do fogo, estão espantando os turistas”, escreveu um empresário por mensagem direta a uma página dedicada à Vila de São Jorge, povoado da Chapada. Outro, disse que as  queimadas são normais no Cerrado: “O turista é nossa principal fonte de renda. Se espalhar essa história, que é normal por aqui, vamos ter que fechar as portas. Já basta essa pandemia”, escreveu outro comerciante local. A página, então, comentou: “Mensagens como deste empresário são frequentes por aqui. Surreal, não?”.

Empresário pede para 'não espalhar' sobre incêndio
Reprodução

Empresário pede para ‘não espalhar’ sobre incêndio


Sem trégua

Ao longo de mais de uma semana, diversas páginas, ONGs e moradores têm, não só divulgado imagens diárias dos trabalhos contra o fogo , como também apoiado o Corpo de Bombeiros, o Instituto Chico Mendes de Proteção à Biodiversidade (ICM-Bio) e brigadistas do PrevFogo (frente ligada ao Ibama) no combate aos incêndios em áreas do Cerrado, em equipes, em média, formadas por cerca de 150 pessoas.

Leia mais:  Candidata a vereadora em SC é presa em flagrante por tráfico de drogas

No último dia 12 de setembro, mais de cem turistas precisaram ser retirados às pressas da Chapada dos Veadeiros depois de terem ficado isolados pelo fogo no Vale da Lua. Até a última atualização, 14 mil hectares já haviam sido destruídos pelo fogo. Procurado, o Corpo de Bombeiros ainda não atualizou sobre a situação nesta terça.


“Com os novos focos de ontem (segunda-feira, 20) que adquiriram grandes proporções, muitos dias de combate ainda virão pela frente. Todos estão torcendo por uma chuva prometida pela meteorologia”, comentou a página Rede contra Fogo, de brigadistas voluntários, nesta terça-feira.

Continue lendo

Mais Lidas da Semana