conecte-se conosco

Turismo

Pedra do Telégrafo oferece uma vista incrível com direito a ilusão de ótica

Publicado


source
Juliana Paes em foto na Pedra do Telegrafo
Instagram/Reprodução

Juliana Paes em foto na Pedra do Telegrafo

Juliana Paes chamou a atenção dos fãs ao postar belas fotos no topo da famosa Pedra do Telégrafo, conhecida por, além de suas belezas naturais, ter um ângulo todo especial que causa uma ilusão ótica, proporcionando fotos incríveis. Ali, todos os visitantes fazem uma foto na ponta de uma pedra e dá a impressão que a pessoa está a beira de um penhasco, prestes a cair.

Localizada no Parque Estadual da Pedra Branca na Barra de Guaratiba, Zona Oeste do Rio de Janeiro, e tem esse nome devido às instalações militares que ficavam no local durante a segunda guerra mundial, que serviam de observatório para submarinos. Por se tratar de uma área militar algumas praias possuem acesso restrito.

O local tem uma trilha de 3,5 km que só pode ser feita a pé e possui diversos pontos para descansar e tirar fotos. A dica é usar roupas leves e confortáveis para fazer o percurso. Não é permitido animais domésticos no local.

Você viu?

A pedra fica a 354 metros de altura e proporciona uma vista toda especial às praias de Grumari, Praia do Meio e outros pontos turísticos, como Barra da Tijuca, Recreio dos Bandeirantes e Pedra da Gávea.

Como chegar

Para quem é de fora do Rio de Janeiro, partindo do aeroporto Santos Dumont, pegue a um trem na Praia Formosa e vá até a Cinelândia, então desça e pegue o metrô (Linha 1) até o Jardim Oceânico. De ônibus pegue a linha 2334 (Campo Grande) e vá até a Estrada da Ilha e de lá a linha 867 que leva à Barra de Guaratiba (final da linha). Pode haver variações aos fins de semana e por decorrência dos níveis de restrição estipulados pelo governo devido a pandemia.

Fonte: IG Turismo

Leia mais:  Países europeus dedicam festivais, fábricas e até um mosteiro à cerveja; conheça
publicidade

Turismo

Maldivas: entenda porque o país pode desaparecer até o fim do século

Publicado


source
A 76ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) começou nesta terça-feira (21), e alertou para as ameaças causadas pelas mudanças climáticas
Unsplash

A 76ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) começou nesta terça-feira (21), e alertou para as ameaças causadas pelas mudanças climáticas


As Maldivas, pequeno país na Ásia Meridional, foi um dos principais pontos discutidos na 76ª sessão da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que aconteceu em Nova York nesta terça-feira (21). O tema deste ano é “Construindo resiliência por meio da esperança – para se recuperar de Covid-19, reconstruir a sustentabilidade, responder às necessidades do planeta, respeitar os direitos das pessoas e revitalizar as Nações Unidas”.

Abdulla Shahid, ministro das Relações Exteriores das Maldivas, é também líder do evento. Em seu discurso, chamou a atenção para as nações vulneráveis às mudanças climáticas. A República das Maldivas, por exemplo, pode chegar a desaparecer por completo. 

O país está situado no continente asiático, no meio do Oceano Índico, é formado por 1190 ilhas, com praias, lagoas e recifes. Devido às paisagens paradisíacas, se tornou um destino turístico extremamente requisitado. Segundo informações do Fórum Econômico Mundial, o nível dos oceanos pode subir cerca de 1,1 m nas próximas oito décadas por causa do  aquecimento global. Por isso, até o ano de 2100 o arquipélago poderá ser totalmente submerso, visto que 80% das ilhas das Maldivas estão apenas um metro acima do nível do mar.

Leia mais:  Hopi Hari: Horror Drive Tour vai até novembro

Em maio de 2021, em entrevista à CNBC, Aminath Shauna, ministra do Meio Ambiente, Mudanças Climáticas e Tecnologia, declarou que a República das Maldivas é o país mais vulnerável do mundo, considerando as mudanças climáticas.

“Nossa renda, nossa alimentação e nossa sobrevivência dependem de como lidamos com essas vulnerabilidades hoje. O futuro do nosso país, o futuro do nosso povo, o futuro da nossa cultura, tudo depende da nossa ação hoje”, explica. Para conter as ameaças do clima, as Maldivas começaram a adotar medidas como redução das emissões de carbono e a construção de cidades flutuantes.

Fonte: IG Turismo

Continue lendo

Mais Lidas da Semana