conecte-se conosco

Saúde

Pela 1ª vez, vacina contra o câncer é aplicada e testada em humanos; confira

Publicado


source
Pela primeira vez, vacina contra câncer é aplicada em humano
Gabriela Bulhões

Pela primeira vez, vacina contra câncer é aplicada em humano

Além de ser responsável por desenvolver uma das principais vacinas contra a pandemia desdobrada pelo vírus da Covid-19, a empresa de biotecnologia alemã BioNTech também está investindo na pesquisa contra o câncer. Nesta semana, o laboratório começou a testar uma vacina experimental, a  BNT111, contra um tipo de câncer de pele em estudos clínicos de Fase 2.

Segundo os dados pré-clínicos e clínicos anteriores, a vacina da BioNTech é segura o suficiente para que a pesquisa continue. O objetivo é avaliar o quão bem a fórmula funciona contra o câncer, junto com um medicamento, o Libtayo (cemiplimabe), da Regeneron e da Sanofi.

O ensaio da vacina já foi revisado e aprovado pelas autoridades regulatórias dos países da União Europeia (UE), como Espanha, Alemanha, Itália e Polônia. Ademais, Reino Unido, Estados Unidos e Austrália também autorizaram os testes.

O primeiro paciente a receber a vacina mora na UE e da mesma forma que na vacina Covid-19, a vacina experimental contra o câncer adota a tecnologia de mRNA (RNA mensageiro) para ensinar o sistema imunológico do paciente a combater o câncer.

Leia mais:  Covid-19: Ministério da Saúde fala sobre distribuição de medicamentos

Porém, há diferenças significativas entre testar uma vacina contra o câncer e contra um vírus, como o coronavírus. Isso porque os pesquisadores não podem testar a vacina em pacientes saudáveis ​​e depois esperar até que alguns deles desenvolvam câncer.

Portanto, a vacina contra o câncer não age de forma preventiva e sim deve demonstrar benefícios do uso em pacientes com a doença já existente. No caso desta pesquisa, podem ser voluntários pessoas com melanoma (tipo de câncer de pele) em estágio III ou IV.

Para auxiliar no tratamento do câncer em estágio avançado, a fórmula da BioNTech tem como foco uma combinação fixa de antígenos associados a tumores que foram codificados por mRNA.

Você viu?

“A BNT111 é uma candidata a vacina intravenosa contra o câncer que codifica um conjunto fixo de quatro antígenos específicos do câncer otimizado para imunogenicidade e entregue como formulação de RNA-lipoplexo”, explicou a farmacêutica alemã, em comunicado.

De acordo com a empresa, mais de 90% dos melanomas em pacientes expressam pelo menos um dos quatro antígenos associados a tumores codificados na vacina experimental.

“Nossa visão é aproveitar o poder do sistema imunológico contra o câncer e doenças infecciosas”, disse a cofundadora da BioNTech, Özlem Türeci, em nota e complementou que foram capazes de “demonstrar o potencial das vacinas de mRNA no tratamento da Covid-19.”

Fonte: IG SAÚDE

publicidade

Saúde

Covid-19: Brasil tem 19,6 milhões de casos e 549,4 mil mortes

Publicado


O Brasil registrou em 24 horas 38.091 novos casos de covid-19. O acumulado de casos registrados no país desde o início da pandemia é de 19.670.534. Segundo balanço divulgado neste sábado (24) pelo Ministério da Saúde, com base em informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde e do Distrito Federal, no momento, há 780.326 casos em acompanhamento. Nessa situação, casos suspeitos, que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves, são observados por equipes de saúde.

Já o número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 549.448. Em 24 horas, foram registradas 1.108 mortes. Há ainda 3.428 óbitos em investigação no país. 

Há, ao todo, 780.326 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 18.340.760 pacientes já se recuperaram.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (137.211), seguido do Rio de Janeiro (58.361), Minas Gerais (49.675), Paraná (34.264) e Rio Grande do Sul (33.039). Entre os estados com menos registros de óbitos estão Acre (1.796), Roraima (1.828), Amapá (1.891), Tocantins (3.459) e Alagoas (5.724).

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil.

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. – Ministério da Saúde
Leia mais:  Covid-19: Brasil tem 13,9 milhões de casos e 371,6 mil mortes

Vacinação

Até hoje, foram aplicadas mais de 131 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, 94,6 milhões de pessoas receberam a 1ª dose e 37,1 milhões, a 2ª dose ou dose única.

Até o início da noite deste sábado, começaram a ser distribuídas 164,4 milhões de doses, tendo sido entregues 154,7 milhões de doses. Um total de 9,7 milhões de doses estão em processo de distribuição.

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Mais Lidas da Semana