conecte-se conosco

Mato Grosso

Pesquisa da Empaer avalia que enxertia da Castanha-do-Brasil tem bons resultado com o cultivo no solo

Publicado


O pesquisador da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Empaer), Eliazel Vieira Rondon, desenvolveu técnicas de produção de mudas enxertadas de Castanha-do-Brasil utilizando o clone Manoel Pedro I, desenvolvido no Campo Experimental da empresa, no município de Rosário Oeste. As vantagens das plantas enxertadas são a precocidade de produção e o baixo porte da planta.

Após três tentativas diferentes para enxertia da Castanha-do-Brasil, a prática mais aceitável para o sucesso da planta foi o cultivo no solo. Os testes realizados em vasos e sacolas plásticas não tiveram êxito. 

O pesquisador informa que desde 2018 vem realizando demonstrações práticas sobre a enxertia de castanha para técnicos da empresa e agricultores familiares com o objetivo de mostrar a tecnologia adequada para o sucesso da castanheira.

Foram feitas duas modalidades de enxertia, uma em placa com a gema intumescida e a outra pelo método de garfagem, onde parte de um galho sem folha é introduzido no caule da muda em forma de cunha e amarrada com fita plástica transparente.

A castanheira pode ser propagada por sementes ou por enxertia. Para estimular a produção de Castanha-do-Brasil, a pesquisa desenvolveu técnicas de produção de mudas em menos tempo e com mais qualidade.

Leia mais:  Município de São José do Rio Claro inaugura nova delegacia da Polícia Civil

A castanheira clonada produzida no Campo Experimental foi obtida por meio de processo de enxertia de gema. Esse tipo de enxerto é realizado quando a planta já está no campo, após um ano de plantio.

“Duas vantagens das plantas enxertadas são a precocidade de produção e o baixo porte. Ao contrário das castanheiras comuns, não enxertadas, que apresentam porte alto e geralmente começam a produzir a partir dos 14 anos de plantio”, esclarece o pesquisador.

A castanheira representa fonte de renda para agricultores

De acordo com Eliazel, o plantio da castanheira no solo é a alternativa mais promissora para realização de enxerto. A Empaer, por meio da pesquisa, vem priorizando a seleção de material promissor, visando o melhoramento genético para o aumento da produtividade e da qualidade das castanhas.

Atualmente estão utilizando os clones mais produtivos, Manoel Pedro I, 606, 609, Santa Fé I, Santa Fé II, Vera, Cláudia e Juína.

Conforme Rondon, é importante observar o porte da planta e a incidência de doença para realização da enxertia. Os clones promissores apresentaram uma produtividade média de 36 quilos de castanhas soltas por árvores, com apenas dez anos de plantio.

Leia mais:  Pediatra do MT Saúde alerta para risco de surtos de doenças que já são imunopreveníveis

“Desde 1993 são realizadas pesquisas e já foram introduzidos no mercado oito materiais genéticos para plantio da castanha no Estado”, explica.

A castanheira é uma espécie promissora também para o reflorestamento e produção de madeira. Eliazel fala que a espécie florestal tem pouca incidência de pragas e doenças. A Castanha-do-Brasil, por sua vez, tem um crescimento lento  na fase inicial, a madeira é densa, macia ao corte,  sendo  indicada para construção civil interna. Desde o ano de 1994 foi proibido  o   corte para comercialização de sua madeira, quando originadas de florestas nativas. Sua  amêndoa  é rica em proteína, vitamina e sais minerais.

A castanheira do Brasil é encontrada nos estados de Roraima, Rondônia, Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Maranhão e Mato Grosso. É uma das espécies mais altas da Amazônia, podendo atingir até 50 metros de altura. Desempenha papel importante na renda de milhares de famílias residentes na floresta, ou em áreas próximas, que realizam o extrativismo e a comercialização dos produtos.

Fonte: GOV MT

publicidade

Mato Grosso

“Este é um Governo diferenciado, que faz as coisas acontecerem”, afirma prefeito de Colíder em inauguração de nova ala do Hospital Regional

Publicado


O Governo de Mato Grosso inaugurou, nesta quinta-feira (27.07), a nova ala do Hospital Regional de Colíder, que é referência para seis municípios da região. A área ampliada conta com 20 leitos de enfermaria e será, inicialmente, destinada ao atendimento de pacientes com Covid-19.

O Estado investiu R$ 8 milhões na estrutura física e mais R$ 1,5 milhão no mobiliário da nova ala.

Durante a solenidade de inauguração dos novos leitos, o governador Mauro Mendes reafirmou o compromisso do atual Governo em modernizar a saúde pública e investir em áreas essenciais. 

“A ala ampliada do Hospital Regional de Colíder traz um novo conceito de saúde pública, o mesmo que estamos levando para todos os hospitais regionais e todas as novas unidades que vamos construir. O objetivo é que a infraestrutura leve a uma mudança comportamental, para melhorarmos a saúde que é oferecida ao cidadão de Mato Grosso. A mesma postura que adotamos na saúde, nós temos na nossa educação, nas nossas estradas. Todos os equipamentos do Governo trabalham para fazer muito, mas fazer com qualidade”, declarou o governador. 

O secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, enfatizou que essa é uma das entregas feitas pelo atual Governo, que prioriza a modernização de todas as unidades de saúde geridas pelo Estado e a melhoria do serviço prestado à população. 

Leia mais:  Agendamento para o censo previdenciário começa no dia 1º de dezembro

“Essa conquista é fruto da promessa do governador Mauro Mendes, que na campanha falou que ia fazer a saúde funcionar e já está fazendo. Todas as unidades de saúde do Estado estão passando por modernização. O que mostramos hoje é uma prévia do que este hospital irá se transformar e do que queremos para todos os nossos hospitais e unidades especializadas”, disse o secretário, durante a inauguração. 

O prefeito de Colíder, Hemerson Máximo, elogiou e reconheceu o trabalho positivo do Governo de Mato Grosso no município de Colíder e em toda a região. 

“Esse é um momento histórico. O Governo do Estado vem sendo um grande parceiro de Colíder. Esse é um Governo diferenciado, que conversa com seriedade e faz as coisas acontecerem. Colíder está muito grata por tudo o que tem sido feito por Mato Grosso. Muito obrigado ao governador Mauro Mendes e parabéns ao secretário Gilberto Figueiredo”, declarou.

Para o deputado estadual Ondanir Bortolini, o Nininho, a entrega é resultado de uma gestão responsável. “Isso é a prova de que, quando se faz gestão com responsabilidade, os benefícios chegam na ponta. Nós estamos juntos, governador, porque é isso que nos orgulha: fazer política de resultado.” 

Leia mais:  Seciteci analisa abertura de mais turmas de curso de Condutor de Turismo; 1º é realizado em Barra do Garças

O deputado federal Juarez Costa também elogiou as ações feitas pelo Governo do Estado e enfatizou a relação de parceria com o Poder Legislativo.

“Colíder, como toda a região norte, merece essa atenção. O Norte, principalmente o extremo norte, não tinha essa atenção que o governador Mauro Mendes tem dado em infraestrutura, saúde, educação e demais áreas. Estamos juntos com a bancada federal, com a Assembleia Legislativa ajudando o Governo do Estado e os secretários a fazerem o estado se mover”, concluiu.

Durante a solenidade de inauguração, também foram feitas as entregas de 450 cestas básicas do programa Vem Ser Mais Solidário, 60 caixas de abelha e assinado o termo de entrega de 700 toneladas de calcário, oito resfriadores de leite e uma ensiladeira para a agricultura familiar.

Na inauguração dos novos leitos, também estiveram presentes os deputados federais Carlos Bezerra e Neri Geller, os deputados estaduais Dilmar Dal Bosco, Ondanir Bortolini, Elizeu Nascimento, Sebastião Rezende, e os secretários de Estado, Mauro Carvalho (Casa Civil), Alberto Machado, o Beto Dois a Um (Cultura, Esporte e Lazer), Silvano Amaral (Agricultura Familiar) e Rosamaria Carvalho (Assistência Social e Cidadania), prefeitos e autoridades da região.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana