conecte-se conosco

Policia Federal

PF deflagra a Operação Pomar para investigar esquema de lavagem de dinheiro e sonegação fiscal em SP

Publicado


Sorocaba/SP – A Polícia Federal e a Receita Federal do Brasil deflagraram hoje (2/12) a Operação Pomar, ação por meio da qual estão sendo cumpridos 15 mandados de busca e apreensão, além do bloqueio (sequestro) de contas-bancárias, veículos e imóveis, até o limite de R$ 78,1 milhões. Os mandados de busca e apreensão, expedidos pela 6ª Vara da Justiça Federal em São Paulo/SP, estão sendo cumpridos nas cidades de Sorocaba/SP, Votorantim/SP e Indaiatuba/SP.

As investigações foram iniciadas no âmbito criminal em 2019, em inquérito policial que tramita na Polícia Federal em Sorocaba/SP, instaurado para apuração de possíveis crimes de sonegação fiscal e lavagem de dinheiro. O objetivo da Operação é coletar provas acerca de possíveis crimes de fraude fiscal, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica, em tese praticados por representantes do Grupo Empresarial investigado e de profissionais do ramo da contabilidade.

 

Os supostos crimes consistem, em suma, na utilização de empresas que aparentam ser “de fachada” para emissão de Notas Fiscais falsas, com o objetivo de gerar créditos tributários ilegítimos. Estima-se que, apenas nos anos e 2014 e 2017, tenham sido emitidas mais de 6 mil Notas Fiscais, que alcançam um volume financeiros de R$ 689,1 milhões, com suspeitas de falsidade, todas endereçadas a três das pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado. Além disso, também está sob investigação eventual ocultação de patrimônio imobiliário, mediante a escrituração de imóveis em nome de pessoas jurídicas desprovidas de capacidade econômico-financeira para tanto.

Leia mais:  Polícia Federal investiga descaminho e crime ambiental no interior do Paraná

 

O nome da Operação, qual seja, “POMAR”, deve-se ao fato de que as empresas supostamente “de fachada”, que emitiram Notas Fiscais com aparência de falsidade às pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado, foram constituídas em nome de interpostas pessoas, popularmente conhecidas como “laranjas”.

 

Comunicação Social da Polícia Federal em Sorocaba/SP

Contato: (15) 3416-5200

 

*** O nome da Operação, qual seja, “POMAR”, deve-se ao fato de que as empresas supostamente “de fachada”, que emitiram Notas Fiscais com aparência de falsidade às pessoas jurídicas do Grupo Empresarial investigado, foram constituídas em nome de interpostas pessoas, popularmente conhecidas como “laranjas”.

 

publicidade

Policia Federal

Polícia prende líder de facção criminosa no Acre

Publicado


Rio Branco/AC – A Polícia Federal cumpriu nesta terça-feira (22/6), na capital do Acre, um mandado de prisão preventiva, expedido pela Vara da Comarca de Plácido de Castro/AC, contra integrante de facção criminosa e acusado de ser mandante de um homicídio.

A ação foi conduzida por policiais da FICCO – Força Integrada de Combate ao Crime Organizado, composta pela Polícia Federal, Polícia Civil e Polícia Militar.

As investigações que culminaram na prisão do investigado tiveram início em maio deste ano, por ocasião de relatos de que o preso e outros dois homens, já identificados e anteriormente detidos, sequestraram, torturaram e executaram uma mulher em Plácido de Castro.

Os criminosos supunham que a vítima havia informado sobre as atividades do grupo a terceiros, razão pela qual decidiram por sua execução. Após o crime, os executores foram presos em flagrante, porém, o mandante e líder conseguiu fugir.

O trabalho de inteligência desenvolvido pela FICCO resultou na localização do autor em uma casa do bairro Calafate, Rio Branco, onde ele foi preso na posse de uma arma de fogo.

Leia mais:  PF investiga suposta prática de crimes conta o sistema previdenciário no Maranhão

Comunicação Social da Polícia Federal no Acre

Continue lendo

Mais Lidas da Semana