conecte-se conosco

Saúde

Queiroga: Programa de Imunização é esperança de por fim à pandemia

Publicado


O ministro da Saúde Marcelo Queiroga disse hoje (20) que o Programa Nacional de Imunização (PNI) é a esperança de por fim à pandemia de covid-19 no país. Em participação da vacinação em massa da ilha de Paquetá, bairro da capital Rio de Janeiro, o ministro disse que o PNI tem capacidade de vacinar até 2,4 milhões de brasileiros por dia

O ministro disse que o Ministério da Saúde adquiriu mais de 630 milhões de doses de vacinas e que, desse total, mais de 110 milhões de doses foram distribuídas. Segundo Queiroga, o Brasil se encontra entre os cinco países que mais distribuíram doses de vacinas para a sua população. 

Queiroga e outras autoridades da área de saúde foram a Paquetá para o dia de imunização em massa dos moradores da ilha. A ação é uma parceria entre a Secretaria e Saúde do Município do Rio de Janeiro e a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para estudo de Fase 4 da vacina AstraZeneca, quando o que está em análise é a efetividade das vacinas “no mundo real”, conceito que é diferente de eficácia, que é o percentual de proteção medido pelos testes clínicos, em um grupo controlado e em comparação a um placebo antes da aprovação da vacina pelas autoridades sanitárias. Todos os moradores da ilha devem ser vacinados, pelo menos com a primeira dose, ainda hoje.

Leia mais:  Estado de SP chega a 21,5 mil mortes por Covid-19

Na quinta-feira (17), o trabalho começou a ser realizado com a coleta de amostras de sangue para testes sorológicos em moradores de Paquetá que se apresentaram como voluntários. Entre os objetivos, o estudo quer monitorar a “soroconversão”, isto é, quem era soronegativo (não tinha anticorpos) e passou a ser soropositivo (com anticorpos). A pesquisa será capaz de diferenciar quem passou a ter anticorpos por causa da vacina e quem os adquiriu devido a uma infecção, e isso ajudará a verificar, entre outros pontos, o nível de proteção coletiva que será alcançado. Segundo o secretário de Saúde do Município do Rio de Janeiro Daniel Soranz, 70% da população da lha participou do teste.

Fiocruz

A presidente da Fiocruz Nísia Trindade agradeceu a disponibilidade dos moradores da ilha em participar da pesquisa. Ela disse que “vacinar é sempre uma emoção, quando pensamos na importância das pesquisas que avaliam a vacina e o impacto na transmissão, como está sendo feito aqui em Paquetá”.

Pesquisa

No evento, Queiroga lamentou profundamente todas as 500 mil vidas perdidas para a covid-19. “Não só os que morreram, mas os que ainda padecem dessa doença. É uma emergência de saúde pública internacional. Não é um problema exclusivo do Brasil e para enfrentá-lo a principal ferramenta é o Sistema Único de Saúde”.

Leia mais:  Covid-19: estudo aponta ineficácia de tratamento com hidroxicloroquina

Edição: Aline Leal

Fonte: EBC Saúde

publicidade

Saúde

‘Todos os cariocas acima de 18 anos’ imunizados em três semanas, prevê Paes

Publicado


source
Prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes
Fernando Frazão/Agência Brasil

Prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes


O prefeito Eduardo Paes anunciou que a vacinação contra a Covid-19 na cidade do Rio será retomada na próxima quarta-feira. Pelo Twitter, Paes informou ainda que as idades que seriam atendidas ao longo desta semana no planejamento anterior estão mantidas — o cronograma havia sido suspenso na última sexta por conta do atraso no envio de doses por parte do Ministério da Saúde.

Assim, pessoas de 34 anos poderão ser imunizadas na própria quarta, sendo mulheres de manhã e homens à tarde. Na quinta-feira, é a vez das mulheres de 33 anos, enquanto homens da mesma idade devem ir até os postos na sexta. Tanto a quinta quanto a sexta-feira também servirão, à tarde, para a repescagem de quem tem 34 anos ou mais, assim como no sábado poderá ser vacinado qualquer um com 33 anos ou mais.

Na mesma postagem, Paes afirmou que, “se não houver mais falhas na entrega”, todos os cariocas acima de 18 anos estarão vacinados ao menos com a primeira dose dentro de três semanas. “Bora distribuir acelerado”, escreveu o prefeito.

Leia mais:  Fiocruz desenvolve sistema de tratamento de ar emergencial para UTIs


Você viu?

Mais cedo, também pelas redes sociais, Paes contou que o Ministério da Saúde havia antecipado a remessa de novas doses do imunizante, que chegariam à cidade já na noite desta segunda-feira. “Acabamos de receber uma ligação do departamento de logística do Ministério da Saúde, que nos informou estar adiantando as entregas desta semana para a noite de hoje (segunda-feira). Agradeço muito a parceria do ministro Marcelo Queiroga na aceleração desse processo”, postou o prefeito.

Pouco antes, o Ministério da Saúde também havia informado, no seu perfil em rede social, o envio, a partir desta segunda-feira, de 10,2 milhões de doses de vacina para todo o Brasil. Ainda segundo a postagem, serão 3, 812 milhões doses da AstraZenecaFiocruz, 1,036 milhão de AstraZeneca Covax Facility, 3,335 milhões CoronavacButantan e 2.104 Pfizer BioNTech.

Na sexta-feira, poucas horas após divulgar a queda do número de mortes e casos graves de Covid-19 na cidade devido ao avanço da vacinação, a Prefeitura do Rio anunciou que a aplicação de primeiras doses seria suspensa a partir daquele dia por falta de imunizantes. O prefeito Eduardo Paes (PSD) afirmou que o Ministério da Saúde estva demorando a entregar mais lotes e cobrou, pelo Twitter, o envio imediato. A pasta negou que houvesse atraso.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Mais Lidas da Semana