conecte-se conosco

Mato Grosso

Quinta-feira (08): Mato Grosso registra 324.899 casos e 8.403 óbitos por Covid-19

Publicado


A Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT) notificou, até a tarde desta quinta-feira (08.04), 324.899 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, sendo registrados 8.403 óbitos em decorrência do coronavírus no Estado.

Foram notificadas 1.707 novas confirmações de casos de coronavírus no Estado. Dos 324.899 casos confirmados da Covid-19 em Mato Grosso, 13.813 estão em isolamento domiciliar e 300.564 estão recuperados.

Entre casos confirmados, suspeitos e descartados para a Covid-19, há 519 internações em UTIs públicas e 504 em enfermarias públicas. Isto é, a taxa de ocupação está em 97,56% para UTIs adulto e em 58% para enfermarias adulto.

Dentre os dez municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (69.393), Rondonópolis (24.443), Várzea Grande (20.937), Sinop (16.345), Sorriso (11.979), Tangará da Serra (11.135), Lucas do Rio Verde (10.737), Primavera do Leste (9.479), Cáceres (7.011) e Alta Floresta (6.264).

A lista detalhada com todas as cidades que já registraram casos da Covid-19 em Mato Grosso pode ser acessada por meio do Painel Interativo da Covid-19, disponível neste link.  

Leia mais:  Sesp executa 653 operações integradas no primeiro semestre

O documento ainda aponta que um total de 289.079 amostras já foram avaliadas pelo Laboratório Central do Estado (Lacen-MT) e que, atualmente, restam 1.416 amostras em análise laboratorial.

Cenário nacional

Na quarta-feira (07), o Governo Federal confirmou o total de 13.193.205 casos da Covid-19 no Brasil e 340.776 óbitos oriundos da doença. No levantamento do dia anterior, o país contabilizava 13.100.580 casos da Covid-19 no Brasil e 336.947 óbitos confirmados de pessoas infectadas pelo coronavírus.

Até o fechamento deste material, o Ministério da Saúde não divulgou os dados atualizados desta quinta-feira (08).

Recomendações

Já existem vacinas para prevenir a infecção pelo novo coronavírus, mas ainda é importante adotar algumas medidas de distanciamento e biossegurança.

Os sites da SES e do Ministério da Saúde dispõem de informações oficiais acerca da Covid-19. A orientação é de que não sejam divulgadas informações inverídicas, pois as notícias falsas causam pânico e atrapalham a condução dos trabalhos pelos serviços de saúde.

O Ministério da Saúde orienta os cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas, incluindo o novo vírus. Entre as medidas estão:

Leia mais:  Governo de MT e Prefeitura de Nova Mutum disponibilizam mais 10 leitos de UTI Covid-19

– Lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Se não houver água e sabão, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;

– Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;

– Evitar contato próximo com pessoas doentes;

– Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;

– Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.

Fonte: GOV MT

publicidade

Mato Grosso

Proteção do Dourado nos rios de MT é tema de reunião do Cepesca

Publicado


A proteção do Dourado nos rios mato-grossenses foi tema principal da 1ª reunião ordinária de 2021 do Conselho Estadual de Pesca (Cepesca), apresentada em tempo real pelo YouTube da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT).

Durante o encontro online, foram respondidos alguns questionamentos apresentados por Organizações Não Governamentais, entre eles as ações de prevenção e combate aos incêndios florestais.

A Coordenadoria de Fauna e Recursos Pesqueiros da Sema apresentou um parecer técnico respondendo à demanda da Assembleia Legislativa de Mato Grosso sobre a liberação da pesca do Dourado. O documento apontou a necessidade de mais estudos para embasar a decisão da abertura ou não da pesca da espécie no Estado.

A manifestação técnica apresentada pela coordenadora Neusa Arenhart apontou a necessidade de monitoramento e acompanhamento não só do dourado, uma espécie de forte migração e muito atrativa para a pesca esportiva comercial, mas também de toda a cadeia abaixo dele, com acompanhamento dos recursos pesqueiro em geral e do ambiente em que ele está inserido para a decisão final.

O conselho referendou, com unanimidade, a manifestação técnica da Sema que será enviada à Assembleia Legislativa e aprovou a solicitação, a ser enviada por ofício, que após a conclusão do estudo este seja encaminhado para o Cepesca para deliberação, seguindo prorrogativa prevista na lei.

Após apresentação, um debate entre os conselheiros foi aberto. A pesquisadora Lú Mateus, da Universidade Federal de Mato Grosso, destacou um estudo que está em andamento e deve ser apresentado este ano. Ela endossou o parecer técnico da Sema e ressaltou a necessidade de mais estudos para uma discussão ampla sobre os pros e contras para a liberação ou não da pesca do dourado, com embasamento científico, dados e evidencias.

Leia mais:  Governo de MT e Prefeitura de Nova Mutum disponibilizam mais 10 leitos de UTI Covid-19

O Secretário Executivo de Meio Ambiente, Alex Marega, que presidiu a reunião, destacou a importância das parcerias nos estudos técnicos e falou sobre o Sistema Integrado de Gestão Ambiental que será todo digitalizado e até o fim do ano deve abranger todos os módulos. 

“O projeto da Sema após a sistematização é criar um centro integrado de monitoramento. Desta forma todas as informações, incluindo as relacionadas à recursos pesqueiros, serão melhores trabalhadas através de um banco de dado mais robusto”, pontuou.

INCÊNDIOS FLORESTAIS

Um ofício enviado por Organizações Não Governamentais representantes do Cepesca trouxe questionamentos que foram esclarecidos nas reuniões. Um deles trazia a preocupação ambiental e pedia esclarecimentos sobre os planos de prevenção e enfrentamento de incêndios para 2021/2022.

O presidente do Cepesca, Alex Marega, apresentou de uma forma geral o Plano de Ação para Prevenção e Controle do Desmatamento e Incêndios Florestais e trouxe detalhes do plano de prevenção e combate a incendios de Mato Grosso elaborado pelo Corpo de Bombeiros para este ano. O investimento é de R$ 43 milhões exclusivos para o combate a incêndios florestais de um total de R$ 73 milhões previstos para ações de fiscalização e monitoramento para o controle de desmatamento ilegal e incendios florestais.

Leia mais:  Cidadãos podem contribuir com o Plano Nacional de Segurança Pública e Defesa Social até o final de agosto

O plano traz ações preventivas e educacionais em 41 municipios, realização de queimas prescritas em Unidades de Convervação Estadual visando diminuir o impacto de incendios florestais nestas áreas, reuniões com proprietarios rurais para recomendar a construção de aceiros preventivos, confeccão de abafadores de incendio florestal sustentáveis utilizando mãe de obra de reeducandos e estruturaração de salas de situação descentralizadas.

Além da capacitação de militares, também serão formados 500 brigadistas florestais para a prevenção e combate de incêndios em imóveis rurais. O Governo Estadual prevê a contratação de brigadistas temporários, com recursos da Sema, para atuar no combate aos incendios florestais nas áreas prioritárias do Estado e nas Unidades de Conservação. A pasta ainda custeará diárias, hospedagens, alimentação e kits de fardamento e equipamentos para os civis.

O fortalecimento organizacional também foi listados, com a aquisição de uma aeronave e locação de 40 camionetes para atuar exclusivamente em combate à incendios florestais, além de caminhões pipas, drones, 820 equipamentos individuais de combate à incendios florestais, 2 postos de comando moveis e 3 reboques almoxarifado moveis.

Uma outra preocupação das ONGs foi sobre as três reuniões não realizadas em 2020 devido a pandemia, que estavam previstas em edital. O secretário Executivo da Sema explicou que todos as pautas necessárias foram trazidas nas 3 reuniões ordinárias e 2 extraordinárias feitas no ano e que a mudança do calendário não trouxe prejuizo à população.

Fonte: GOV MT

Continue lendo

Mais Lidas da Semana