conecte-se conosco

Tecnologia

Rússia criou ‘fazenda de trolls’ para criticar Ucrânia na internet

Publicado

Meta divulga relatório sobre ação russa
Unsplash/Dima Solomin

Meta divulga relatório sobre ação russa

A Rússia criou uma campanha massiva de desinformação para tentar forjar uma percepção de apoio online à invasão da Ucrânia, de acordo com o Relatório de Ameaças Adversas da Meta, divulgado nesta quinta-feira (4).

A empresa, controladora do Facebook, Instagram e WhatsApp, afirma que descobriu uma “fazenda de trolls” em São Petersburgo. Nela, contas falsas tinham o objetivo de postar comentários pró-Rússia em conteúdo postado por influenciadores em diversas redes sociais.

De acordo com as análises da Meta, o movimento não conseguiu gerar um engajamento “autêntico substancial”, ou seja, pessoas reais não aderiram à campanha pró-Rússia.

A empresa estadunidense afirma que a campanha foi relacionada à Agência de Pesquisa de Internet da Rússia, mesmo órgão ligado à interferência eleitoral nos Estados Unidos e outros países desde 2016, através de campanhas online.

Leia mais:  Twitter guarda cada ação sua; veja como ter mais privacidade

A Meta suspendeu 1.037 contas no Instagram e 45 no Facebook que estavam envolvidas com a campanha de desinformação. Além das plataformas da empresa, os comentários também aconteciam no TikTok, Twitter, YouTube e LinkedIn, além das redes sociais russas VKontakte e Odnoklassniki.


Fonte: IG TECNOLOGIA

publicidade

Tecnologia

Mark Zuckerberg posta selfie no metaverso e vira piada na internet

Publicado

Mark Zuckerberg posta foto no metaverso
Reprodução/Facebook

Mark Zuckerberg posta foto no metaverso

Mark Zuckerberg, CEO da Meta, virou motivo de piada nas redes sociais nesta semana depois de publicar uma selfie no metaverso. O ambiente digital foi criticado por ter design muito simples e nada imersivo.

A imagem foi postada por Zuckerberg na terça-feira (16) para anunciar a chegara da plataforma de metaverso da empresa, a Horizon Worlds, na França e na Espanha.

Na foto, Zuckerberg aparece na frente da Torre Eiffel, em Paris, e do Templo da Sagrada Família, em Barcelona. Nas redes sociais, a falta de recursos da imagem foi criticada.

“Não parece um produto real. Não há nada de ‘imersivo’ nisso. Quando seu produto principal se parece com as paredes pintadas de uma creche abandonada, você deve se perguntar”, escreveu um internauta. “Parece ótimo”, brincou outro.

Leia mais:  Orkut é reativado e fundador promete construir "algo novo"

“O que eles estão fazendo com todo esse dinheiro?”, questionou outro usuário, em referência aos US$ 10 bilhões que a Meta está investindo na criação de seu metaverso.


Fonte: IG TECNOLOGIA

Continue lendo

Mais Lidas da Semana