conecte-se conosco

Saúde

Saúde distribui concentradores de oxigênio doados por empresas ao SUS

Publicado


O Ministério da Saúde (MS) informou que vai distribuir 5.133 concentradores de oxigênio doados por 12 empresas ao Sistema Único de Saúde (SUS), com o objetivo de auxiliar no tratamento de pacientes com covid-19 na rede pública de saúde.

De acordo com a pasta, foi entregue hoje (7) um carregamento com 1.899 equipamentos no Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos. As entregas dos demais aparelhos serão feitas de forma escalonada até o dia 14 de abril. A previsão é que os estados recebam os equipamentos ao longo do mês.

“A aquisição foi possível após a abertura de um edital de chamamento público, em uma ação coordenada pelos Ministérios da Saúde e da Economia – as inscrições do chamamento estão abertas até o dia 8 de abril. Participam da iniciativa as seguintes empresas: Bradesco, BRF, B3, Embraer, Gerdau, Grupo Ultra, Itaú, Magazine Luiza, Marfrig, Natura &CO, Suzano e Unipar. A Air Liquide Brasil fez a cotação para a importação dos equipamentos, ao custo total de R$ 35 milhões”, informou o MS.

Leia mais:  China coloca mais de 22 milhões de pessoas em lockdown

Em nota, o ministério explica que esses concentradores podem produzir, por dia, o equivalente a mais de 7 metros cúbicos de oxigênio com 93% de pureza. Os equipamentos são usados em pacientes leves e moderados com covid-19, oferecendo cerca de 5 litros de oxigênio por minuto.

Edição: Valéria Aguiar

Fonte: EBC Saúde

publicidade

Saúde

Passa de 300 o número de UBSs sem vacinas contra a Covid-19 em São Paulo

Publicado


source
Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas
Rovena Rosa/Agência Brasil

Após receber as denúncias, as reclamações são encaminhadas para uma unidade do Ministério Público para que as providências legais sejam tomadas


Mais de 300 Unidades Básicas de Saúde (UBS) não tinham mais vacinas contra a Covid-19 na cidade de São Paulo nesta segunda-feira (21) até às 17 horas. Segundo a plataforma “De Olho na Fila” , a falta de doses aumentou ao longo do dia. Às 13h20, eram 155 os locais sem funcionar.

A zona mais afetada foi a Norte, onde o que equivalente a 91% do total de postos estão inoperantes. A segunda região mais afetada é a Sul, com 81% dos locais de vacinação fechados. Já a Leste tem 83 unidades fechadas, o que equivale a 44% do total.

As regiões Oeste e Centro não foram tão afetadas e quase todos os postos por lá estão operando, de acordo com a plataforma da prefeitura. Há, no entanto, um posto fechado na Zona Oeste e dois locais sem vacina na região central.

Leia mais:  Brasil registra aumento de 11% em mortes por covid-19 em uma semana

Segundo a Prefeitura de São Paulo, este é um problema pontual causado pela alta demanda após a abertura de novos grupos de vacinação. “Para atender a demanda, estão sendo feitos remanejamento/abastecimento de doses entre as unidades vacinadoras do município, para garantir a vacinação nos territórios”, afirmou em nota.

Na última sexta-feira (18), a capital paulista passou a permitir que pessoas com 18 anos ou mais pudessem se inscrever na fila de espera para doses remanescentes — conhecida como “xepa da vacina”. A medida gerou uma corrida para o cadastro e longas filas.

Fonte: IG SAÚDE

Continue lendo

Mais Lidas da Semana