conecte-se conosco

Tecnologia

TikTok deixa Hong Kong depois de nova lei de segurança; entenda

Publicado


source
TikTok
Divulgação

TikTok deixa o território de Hong Kong


O TikTok anunciou, nesta segunda-feira (6), sua saída das lojas de aplicativos da Apple e da Google em Hong Kong . A decisão foi tomada depois que o governo anunciou novas medidas de segurança , que dão mais poder à China continental.


O anúncio do TikTok veio junto com a decisão de empresas como Google , Facebook e Twitter de não responder mais a pedidos do governo de Hong Kong sobre informações de seus usuários. A preocupação das companhias é de que a nova lei possa forçá-las a cumprir padrões de censura, enviando dados à China

O TikTok , por sua vez, foi mais longe e removeu de vez o aplicativo de Hong Kong, e o contexto explica a decisão da empresa. O aplicativo é propriedade da empresa chinesa ByteDance , que opera com o TikTok fora da China e com o Douyin , um app similar, dentro da China .

Leia mais:  iPhones vão transferir imagens do iCloud para o Google Fotos

Recentemente, a ByteDance tem tentado separar cada vez mais os dois apps para se difundir internacionalmente, prometendo que o TikTok não compartilha dados dos usuários com o governo chinês – o que não pode ser dito sobre o Douyin. Com a nova lei, essa ação de privacidade fica mais difícil, por isso a decisão de remover o TikTok de Hong Kong.

As medidas da ByteDance, porém, não têm convencido países com sentimento anti-China. A Índia, por exemplo,  baniu o TikTok de seu território na última semana. Nesta segunda-feira, o secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, disse à Fox que está certamente avaliando banir o TikTok e outros aplicativos chineses do país.

publicidade

Tecnologia

Apple quer lançar novos Macs com mais potência e conectividade

Publicado


source
Novos MacBooks devem chegar ao Brasil em breve
Bruno Gall De Blasi

Novos MacBooks devem chegar ao Brasil em breve

A Apple está se preparando para lançar vários novos laptops e desktops Mac com processadores mais rápidos, novos designs e conectividade aprimorada com dispositivos externos, visando substituir os processadores fabricados pela Intel.

A revisão abrange uma ampla gama de Macs, incluindo o laptop de última geração da Apple, o MacBook Pro; o laptop voltado para o mercado de massa, o MacBook Air; e seus desktops Mac Pro, iMac e Mac mini, segundo pessoas a par do assunto.

Espera-se que os MacBook Pros reprojetados sejam lançados no início do verão no hemisfério Norte, seguidos por um MacBook Air remodelado, um novo MacBook Pro de baixo custo e uma nova estação de trabalho Mac Pro.

A empresa também está trabalhando em um desktop Mac mini de última geração e um iMac maior. As máquinas terão processadores projetados internamente que irão superar em muito o desempenho e as capacidades dos atuais processadores M1, disseram as fontes.

Entradas HDMI e para cartões SD de volta

A Apple planeja lançar os MacBook Pros redesenhados em tamanhos de tela de 14 e 16 polegadas. Eles terão mais portas para conectar unidades e dispositivos externos.

Leia mais:  Garoto de 6 anos entra para o Guinnes como programador mais novo do mundo

A Apple também está trazendo de volta a porta HDMI e o slot para cartão SD, que foram eliminados nas versões anteriores, gerando críticas de fotógrafos e outros profissionais de mídia.

A Apple disse nesta terça-feira que o novo iMac de 24 polegadas estará disponível nas lojas em 21 de maio.

Mac forte na receita

A linha de produtos Mac tem contribuído cada vez mais para a receita da empresa, gerando US$ 9,1 bilhões no trimestre de janeiro a março da Apple, ou 10% das vendas totais.

Os novos processadores terão mais poder para gráficos e mais núcleos de computação, aumentando a velocidade para tarefas diárias e trabalhos intensos como edição e programação de vídeo.

Você viu?

Núcleos de alto desempenho

Para os novos MacBook Pros, a Apple está planejando dois processadores diferentes, com os codinomes Jade C-Chop e Jade C-Die: ambos incluem oito núcleos de alto desempenho e dois núcleos de eficiência de energia.

Os processadores também incluem até 64 gigabytes de memória. Eles poderão executar tarefas de aprendizado de máquina, e permitem a adição de mais portas Thunderbolt. Assim, os usuários poderão sincronizar mais dados e se conectar a mais dispositivos externos.

A Apple também está trabalhando em uma versão mais poderosa do Mac mini com o mesmo chip do próximo MacBook Pro.

E um Mac Pro redesenhado está planejado para vir com 20 ou 40 variações de núcleos de computação. Os processadores também incluiriam opções de 64 núcleos ou 128 núcleos para gráficos.

iMac maior nos planos

A Apple também está trabalhando em um iMac maior com processadores internos, mas o desenvolvimento dessa versão foi interrompido meses atrás, em parte para permitir que a Apple se concentrasse no lançamento do modelo redesenhado de 24 polegadas este mês.

Para um MacBook Air redesenhado e sofisticado planejado para o fim do ano, a Apple está planejando um sucessor direto para o processador M1. Esse chip, com o codinome Staten, será mais veloz e turbinado para gráficos.

A Apple também está planejando uma atualização para o MacBook Pro de 13 polegadas de baixo custo com o mesmo chip.

Continue lendo

Mais Lidas da Semana