conecte-se conosco

Saúde

Veterinário chinês morre após ser infectado por vírus raro do macaco

Publicado


source
Veterinário chinês morre após ser infectado por vírus raro do macaco
Reprodução/FreePic

Veterinário chinês morre após ser infectado por vírus raro do macaco

Um médico veterinário, de 53 anos, morreu após contrair um vírus raro de um macaco, conhecido como “vírus do macaco B” ou herpes B. Autoridades de saúde chinesas afirmaram que o homem foi o primeiro caso no país.

Segundo o Centro Chinês para Controle e Prevenção de Doenças, ele trabalhava em um instituto de pesquisa especializado em reprodução de primatas e havia atuado na dissecação de dois macacos mortos em março. Ele apresentou sintomas como náuseas, vômitos e febre em abril, e morreu em 27 de maio.

Após diversos exames foi encontrado o vírus B do macaco no sangue e saliva do paciente. Outras duas pessoas que tiveram contato também fizeram testes, no entanto, as amostras coletadas deram resultados negativos para o vírus.

Desde o primeiro caso de transmissão de primata para humano em 1932, houve menos de 100 relatos de infecções humanas de herpes B, a maioria detectada na América do Norte, de acordo com Kentaro Iwata, especialista em doenças infecciosas no Japão em entrevista ao Washington Post.

Leia mais:  Covid-19: país tem 1,1 mil mortes e 64 mil casos nas últimas 24 horas

Você viu?

Iwata acrescenta que a doença tende a atacar o sistema nervoso central e causar inflamação no cérebro, o que leva à perda de consciência. Se não for tratada, a taxa de mortalidade é de 80%.

Cientistas, pesquisadores e veterinários são as vítimas mais comuns da doença, e ela geralmente se espalha a partir de mordidas, arranhões ou exposição aos tecidos do cérebro e da medula espinhal, de acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC).

Fonte: IG SAÚDE

publicidade

Saúde

Covid-19: Brasil tem 19,6 milhões de casos e 549,4 mil mortes

Publicado


O Brasil registrou em 24 horas 38.091 novos casos de covid-19. O acumulado de casos registrados no país desde o início da pandemia é de 19.670.534. Segundo balanço divulgado neste sábado (24) pelo Ministério da Saúde, com base em informações repassadas pelas secretarias estaduais de saúde e do Distrito Federal, no momento, há 780.326 casos em acompanhamento. Nessa situação, casos suspeitos, que ainda podem evoluir para diferentes quadros, inclusive graves, são observados por equipes de saúde.

Já o número de pessoas que não resistiram à covid-19 no Brasil subiu para 549.448. Em 24 horas, foram registradas 1.108 mortes. Há ainda 3.428 óbitos em investigação no país. 

Há, ao todo, 780.326 pessoas com casos ativos da doença em acompanhamento por profissionais de saúde e 18.340.760 pacientes já se recuperaram.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão São Paulo (137.211), seguido do Rio de Janeiro (58.361), Minas Gerais (49.675), Paraná (34.264) e Rio Grande do Sul (33.039). Entre os estados com menos registros de óbitos estão Acre (1.796), Roraima (1.828), Amapá (1.891), Tocantins (3.459) e Alagoas (5.724).

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil.

Boletim epidemiológico mostra a evolução dos números da pandemia de covid-19 n Brasil. – Ministério da Saúde
Leia mais:  Mortalidade por Covid-19 caiu 46% no estado de São Paulo, diz Doria

Vacinação

Até hoje, foram aplicadas mais de 131 milhões de doses de vacinas contra a covid-19. Desse total, 94,6 milhões de pessoas receberam a 1ª dose e 37,1 milhões, a 2ª dose ou dose única.

Até o início da noite deste sábado, começaram a ser distribuídas 164,4 milhões de doses, tendo sido entregues 154,7 milhões de doses. Um total de 9,7 milhões de doses estão em processo de distribuição.

Edição: Paula Laboissière

Fonte: EBC Saúde

Continue lendo

Mais Lidas da Semana